quinta-feira, 22 de junho de 2017

PAI

Eu sumi por mais de 1 ano simplesmente porque não queria escrever a postagem que escrevo agora. Mas não dá mais pra adiar. Podem dizer que é fuga, e talvez seja, mas tem brigas que não dá pra enfrentar. Jamais serão vencidas e, talvez, fugir seja a coisa mais sensata e corajosa a se fazer. 

No final de fevereiro de 2016 fui ao ES ser madrinha de casamento de uma amiga e para uma festa da família. Com isso passeio o fim de semana com toda minha família (e sou imensamente agradecida à Deus por ter me proporcionado isso). Voltei pra Porto Alegre na segunda-feira (29 de fevereiro).

Na sexta feira da mesma semana (4 de março) voltei ao ES porque meu pai tinha falecido. 


Eu e meu pai tínhamos muitas diferenças, claro,  ele odiava quando eu emagrecia. Dizia que eu ficava com cara de doente. A gente já brigou tanto nessa vida, por tantos motivos diferentes. Mas a gente era muito parceiro. Se amava muito. Eu entendia ele e ele me entendia. Acho que de toda família era eu quem mais o compreendia e de toda família era ele quem mais me compreendia. 


A gente tinha liberdade de falar tudo um pro outro. A gente se dava tanto carinho. Tanto amor. Vivíamos grudados. E eu também sou muito agradecida por isso. Óbvio que rola arrependimento de muitas coisas que poderiam ter sido feitas de um modo diferente. Mas eu sei que aproveitei muito o meu pai. E sei que muitos não tem essa oportunidade. Meu irmão mesmo não teve essa oportunidade, não desse jeito que tive. Os dois muito teimosos.....e eu sinto tanto por eles. Queria que meu irmão tivesse o que eu tive. Mas isso não ofusca minha gratidão. Sou imensamente agradecida por ter amado, compreendido e aproveitado meu pai. 


E éramos tão próximos, sempre fomos, que ainda o sinto porto de mim. Ainda escuto ele falando comigo dentro do meu coração. Mas a saudade dói. E a parte mais difícil dessa saudade é não ter mais o abraço dele. Ai, como eu tenho saudade daquele abraço....


Então eu fui pro ES. Cheguei lá e vi a minha família em prantos. E naquele momento tive que tomar a minha decisão. E decidi ser forte por eles.  E fui.....passei todo 2016 entre Porto Alegre e o ES, tentando ajudar no que eu podia. Tentei fortalecer todo mundo e decidi que o meu luto poderia esperar.


Olhando pra trás, acho que nunca tive meu luto. Mas isso pra mim não é um problema. Quero dizer, tenho muito pelo que agradecer. Por ter tido ele como pai, por ter podido aproveitar ele o tanto que pude, por ter passado o último fim de semana da vida dele com ele....e a minha certeza religiosa de que um dia nos reencontraremos me faz realmente acreditar que não é um motivo de profunda tristeza. É só um "até logo". Mas o problema real, a coisa com a qual eu não consigo lidar, é a falta que o abraço dele me faz. Essa é a parte difícil de todo processo. 


Então.....dizem que quando passamos por uma dor insuportavelmente grande passamos a encarar a vida de uma nova forma. E posso dizer que acho que foi o que aconteceu. Busquei viver meu luto de um jeito todo meu: parti em busca de uma crescimento espiritual, de uma felicidade constante e de uma paz interior. Por um lado isso me faz me sentir mais perto dele. Bom, se ele passou para o plano espiritual, vamos lá conhecer mais isso, estar mais perto disso.....pra mim é algo que faz sentido.  E por outro lado, no momento em que perdi meu pai e me culpei por viver longe da minha família, eu entendi que não importa onde e como vivemos, só há um jeito de homenagearmos nossa família e a memória daqueles que amamos: SER PROFUNDAMENTE FELIZES.  Então eu busquei e busco essa felicidade. Fui atrás dela como uma leoa faminta parte em busca da presa: com toda calma, estratégia e empenho. 


E num dado momento de toda essa busca, tive que fazer as pazes com meu corpo. Eu ainda controlo a alimentação e malho frequentemente. Mas não faz nenhum sentido eu odiar a imagem do espelho. Ou eu me recriminar por não entrar numa calça tamanho 40. Não faz nenhum sentido. Não mais. Meu senso de beleza e felicidade foram ampliados e o resultado disso (contarei em breve) foi surpreendente. Eu ainda quero falar - e falarei - de dieta e atividade física. Mas também quero falar do que descobri -  e ainda estou descobrindo - nessa minha busca constante pela felicidade. 


Eu, Fernanda, descobri aos 35 anos (e precisei "perder" meu pai para isso) que o que realmente importa nessa vida é ser feliz. E que a felicidade não depende de nada, não depende de um numero na balança, não depende de um bem material, não depende de uma outra pessoa. Para ser feliz você só precisa de uma coisa: ser!


E não acredite em mim. Por favor. Duvide. Pode duvidar. Mas também não acredite em tudo o que te disseram até agora. Parta você em sua própria jornada em busca da felicidade. Pode ser que as histórias e casos sobre a minha jornada te ajude na sua. Pode ser que não. Mas faça um favor a si mesma(o), não aceite passar mais nenhum dia triste e se achando feia por não pertencer a um padrão que alguém te disse que era o certo. Pode ser que depois de uma longa jornada você descubra que aquele velho padrão é o seu mesmo. Pode ser. Mas tenha coragem e parta em busca dessas respostas. E não aceite uma vida que não te faça feliz. 


E eu não estou dizendo para não fazer mais dieta. Não é isso. O que estou dizendo é: seja feliz fazendo dieta. Não espere estar magra para ser feliz. Seja feliz desde já e a magreza vai querer vir correndo aproveitar essa sua nova vida de felicidade.


E aproveite seu pai. Aproveite sua mãe. Aproveite todos que você ama. Eles não durarão pra sempre. Eles não estão sempre certos, nem tudo o que eles dizem realmente são coisas que realmente valem pra você. Mas eles estão tentando fazer o melhor com o que eles tem. Estão tentando te passar o que eles acham que realmente é válido, e por mais que não concorde com algumas coisas, respeite isso. Porque isso é amor. 


Naquela segunda-feira, última segunda-feira, que ele me levou no aeroporto, enquanto nos despíamos, nos abraçávamos e fazíamos planos para os próximos encontros (sem saber que eles não existiriam)....se eu soubesse que seria nosso último abraço, se eu soubesse que jamais o veria em vida novamente (para algumas crenças não nessa vida) acho que eu não o teria soltado. Eu não teria soltado nunca mais. 


Mas isso é a vida. Fazemos escolhas o tempo todo sem saber bem como será o dia de amanhã. Saímos de casa sem saber se vamos voltar, dormimos sem saber se vamos acordar, nos despedimos de quem amamos sem saber se voltaremos a vê-los. E isso é tão cotidiano que se torna corriqueiro. Mas não permita isso. Não permita que a rotina retire da vida a graça que ela tem. E essa graça que ela tem....já fique sabendo...é você quem dá.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Entrevista

Antes de mais nada....deixa eu dar uma notícia atrasada. 

Ano passado, eu dei a minha primeira entrevista (virtual).


E a reportagem saiu dia 12/03/2016 no site Em Pauta. Para quem quiser ler a reportagem da minha entrevista, basta clicar aqui

Bem, a entrevista, como eu disse, foi virtual. Eu recebi as perguntas e respondi pela internet. Mas não importa....não mesmo....porque foi assim que eu me senti:


kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Sabe como é, né? Se a vida é minha, eu imagino ela como eu quiser....hehehehe

A reportagem foi sobre os efeitos da canela. E eu já falei muito disso aqui no meu blog. Segue a lista de linques das minhas postagens sobre canela.




(e o mais importante) Os perigos do excesso de canela

Então aqui vai a reportagem na íntegra (e é sempre bom lembrar - para quem não sabe - que meu nome é Fernanda): 

Canela e os seus efeitos




Recentemente, fizemos uma reportagem sobre as propriedades nutritivas da canela. O seu consumo pode apresentar muitas vantagens. Se não conseguiu conferir, veja no link.

Falando em canela, encontramos a Fernanda, formada em artes plásticas e publicidade e propaganda. Atualmente, ela  mantém um blog que conta suas experiências sobre reeducação alimentar, uma delas, com o uso da canela. Então, tentamos descobrir como foi que ela passou a utilizá-la e quais seus efeitos no organismo. Está achando que não há contraindicações? Não se engane! Os alimentos naturais consumidos em excesso também podem trazer prejuízos ao seu corpo. A dosagem adequada e consumo com moderação é sempre mais indicada.

Veja a seguir o depoimento da Fernanda, sobre o uso desta especiaria tão conhecida e utilizada na culinária brasileira.

Como descobriu os efeitos da canela? Por quê decidiu consumir?

Eu vi no Facebook. Uma amiga perguntou se alguém já tinha ouvido dizer que café com canela emagrece. Eu nunca tinha ouvido falar disso até então, mas fui pesquisar sobre o assunto na internet. E logo achei um blog falando do assunto e fiquei super curiosa. Pra falar a verdade, eu nunca acreditei muito nessa coisa de tomar chás e coisas para emagrecer, mas o que mais me chamou atenção neste blog foram os comentários. Um monte de gente que dizia ter testado e aprovado os efeitos do café com canela. Todas dizendo que tinham emagrecido mais depois que começaram a usar o café com canela. Então resolvi tentar. Se tivesse algo que potencializasse tudo o que eu já estava fazendo pra emagrecer….eu queria tentar.

Observou efeitos colaterais? Quais? Quanto tempo e de que forma era consumida?

Depois que comecei a tomar o café com canela, eu não senti um emagrecimento maior. Mas me senti mais disposta. Antes eu ficava desanimada o dia todo. E depois que passei a consumir o café com canela, eu me senti mais ativa e a preguiça foi embora. Eu fiquei mais disposta para fazer as coisas, principalmente para malhar. Eu não ficava mais atirada no sofá, nas horas vagas eu passei a procurar coisas para fazer….e fazer qualquer coisa é melhor que ficar deitada no sofá. Só isso já é um grande passo rumo à vida saudável. E isso tudo eu já notei na segunda semana. Mas , café tem lá suas contra indicações. A própria cafeína….eu não queria tomar muito. E, principalmente, o café escurece os dentes. E eu não queria isso. Então pensei no plano B. Fiz um chá de canela super concentrado. Coloquei um monte de canela na panela, cobri com água e esperei reduzir. Reduzi tanto que o chá chegou a ficar grosso. E eu tomava uma colher de sopa. Uma semana depois, eu me feri e percebi que a ferida estava demorando para cicatrizar. Então, fui pesquisar na internet e descobri que a canela tem ação anticoagulante, e chequei a conclusão de que estava usando demais. Voltei então a simplesmente colocar um pauzinho de canela dentro do café pela manhã, assim eu poderia perceber os benefícios sem exagerar.

Fernanda ainda deixa sua contribuição sobre o que pensa sobre a busca pelo emagrecimento: nessa busca pelo emagrecimento, é importante perceber que nem tudo serve para todo mundo. Algo que funciona pra mim não vai, necessariamente, funcionar para você, e vice-versa. O importante é testar e procurar a sua receita, o que funciona pra você. E principalmente, nunca desistir.  

Então é isso....a  sessão de autógrafos será amanhã às 10 da manhã.....hauhauhauahuahuah - brincadeira. Mas é claro que esse tipo de coisa faz muito bem para o ego. 

Então.....que vanham mais......huahauahuaha....e quem sabe um dia vocês não me veem na TV sendo entrevistada pelo Evaristo Costa. Ahhhhhh, sim, por favor, que seja o Evaristo Costa.

domingo, 18 de junho de 2017

Vamos nos conhecer novamente....


Voltando aos poucos

Bem.....como eu disse, estou voltando.

Depois de 1 ano e 3 meses fora, sinto que deveria retomar. Afinal, isso aqui é minha vida. É isso que gosto de fazer. Gosto de escrever. Realmente gosto de escrever. Gosto de compartilhar experiências. Gosto de dar opiniões, por mais insanas que sejam. Essa sou eu. E neste ultimo ano vivi tanta coisa, tive tantas experiências....que quero realmente compartilhar tudo. 


Antes de mais nada, devo dizer que o início vai ser meio complicado. Diria até confuso. 


Preciso explicar porque me afastei e contar tudo o que aconteceu...e isso pode ser feito de um jeito nem um pouco cronológico (não sei bem, não pensei nisso ainda) mas com todo certeza será bem interessante hahahahahahahaha. Eu diria até surpreendente. 

Terei que me acostumar com o blog novamente, com os marcadores, com os padrões que eu tinha (ou não) e enfim.....será uma retomada e um aprendizado. 

Aí podem me perguntar: mas então, porque simplesmente não começa de novo? encara só um daqui pra frente.....

Porque eu mudei. Eu mudei tanto. Mas tanto. E me orgulho muito disso. 


Esse papo de que as pessoas não mudam é a mentira mais absurda que já ouvi por aí. Tem aquela velha frase de que as pessoas não mudam, elas simplesmente nunca foram o que você pensou. Ou elas simplesmente se revelam......balela. As pessoas mudam. Claro que essas frases se aplicam a alguns casos, mas não é, de forma alguma, uma verdade absoluta. Aliás, esse foi um de meus aprendizados: nem tudo o que se lê por aí é verdadeiro. Nem tudo o que se lê por aí se aplica a você.

E digo mais: mude! 


Mude sempre! Você nasceu de um jeito, mas não precisa morrer desse mesmo jeito. No meio do caminho mude, se reinvente. Melhore. Cresça. 

E é o que estou tentando fazer....comigo e com a minha vida. Então, eu sinto uma necessidade de explicar isso. Por que mudei, como mudei, como ainda pretendo mudar......e aos poucos, contarei tudo. 

Eu tava com saudade disso. Com saudade de escrever, com saudade do meu espacinho, com saudade de vocês. Eu não faço a menor ideia de como vou arrumar tempo para fazer tudo o que estou fazendo e ainda voltar a escrever no blog hahahahha mas também não estou preocupada com isso. Vamos descobrir um jeito novo de fazer tudo isso. 


E que venham novos textos. Novas amizades. Novas descobertas. Novas mudanças. Novas histórias.....e que saibamos aproveitar todas elas.

quinta-feira, 3 de março de 2016

Tentando fazer o melhor de 2016


Madrinha outra vez

No último fim de semana eu fui madrinha pela segunda vez.


Eu já tinha sido madrinha em outubro, e finalmente chegou o casamento de fevereiro

O fim de semana foi uma correria para cumprir toda minha agenda. Me senti político em época de eleição. Quinta fui pra Vitória, e cheguei já era noite. Na sexta de manhã fomos para Guarapari para a festa da minha família, então sábado eu saí da festa e fui direto para o casamento, em vitória, depois da festa do casamento fui dormi em Cariacica e no domingo voltei pra Guarapari para a festa da família. Aproveitei as últimas horas da festa e domingo de noite voltamos para Cariacica e na segunda voltei para Porto Alegre. 

Não tente ler esse último paragrafo de novo para entender melhor....acredite em mim.....não tem como entender melhor. 

Eu não consegui fazer uma super produção. Passei todo sábado na piscina, e quando fui me arrumar a minha cunhada me ajudou a arrumar o cabelo e eu mesma fiz uma maquiagem mais natural (não me arrisco a tentar uma super e dar errado). 

O meu vestido...bem, eu não fiz uma postagem sobre a procura do meu vestido porque eu nem procurei. Uma semana antes de viajar fui na loja que aluguei o vestido do outro casamento para alugar o desse. 

E eu escolhi este aqui:


Olha como ficou em mim (foto na loja):


E como ficou em mim no dia do casamento:



 

Então passou toda essa correria. E vou dizer uma coisa, 2016 já começou a 120 por hora. Que correria. E pelo que tudo indica, o ano todo vai ser assim. Eu queria tanto que 2015 acabasse pra ver se o ano novo seria mais calmo, mais tranquilo, com um pouco mais de paz de espírito e tempo para me dedicar à minha alma.....mas pelo visto o universo nem se deu conta que 2016 começou, ele está encarando como uma continuação de 2015. Credoooooo. 

Mas não tem jeito não, estamos em março, não tem como esperar por 2017 pra ver se melhorar. A solução é trabalhar duro para fazer deste ano um ano melhor......do melhor jeito possível.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...