quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Naquela hora em que o desânimo bate....

Eu ando tão desanimada...e não é pra menos....toda TPM eu me entrego às guloseimas e perco em dias o que eu conquistei em semanas. Não aguento mais essa vida. E todo mês eu falo o quanto será diferente, e nunca é. Por que será que é tão difícil lutar contra os hormônios?

O resultado disso é uma pessoa cada vez mais gorda e infeliz. Aí eu - que já tenho mil coisas pra fazer dentro de casa - fico não querendo sair. O fato é que não quero que as pessoas me vejam. Não quero ter que lidar com os olhares desaprovadores das pessoas ao perceberem que engordei de novo. Posso estar errada, mas acho que esse meu receito tolo não é só meu. Acho que todo mundo que engorda sofre disso. Mas o meu é potencializado por eu ser neurótica de natureza. Fico com medo de que meu marido receba convites, aceite e eu tenha que ir, gorda. 

Eu sei, tenho que ter vida mesmo acima do peso, blá blá blá. Mas eu não gosto de ser gorda, então gosto de fingir que não sou, que não estou e que nunca fui. Gosto de fingir que tenho uma relação normal com a comida. Não quero que as pessoas saibam que sou uma comedora compulsiva, e que por isso não sei me controlar, não sei controlar meus sentimentos, enfim, que sou uma pessoa fraca. Acho que ninguém gosta de mostrar o seu lado fraco. Todo mundo quer ser forte, quer parecer forte. E por isso não quero que as pessoas me vejam gorda e me imaginem quantas batalhas perdi para a barra de chocolate. 

Eu sei, todo mundo passa por isso, mas todo mundo diz que não posso me sentir assim. Eu sei. Também sou assim. Mas eu não consigo me sentir diferente. E agora vou explicar o porquê. Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras, então vamos lá:

Comecei o ano pesando 84,2 kgr. E até março foi um sobe e desce danado na balança. Até que eu tive uma festa pra ir em abril (e eu estava com 84 quilos). Então fiz a dieta do sofrimento. Em uma semana e meia fui para 81,5 kgr. E fui na festa linda e elegante, apelar de estar ainda 7,5 quilos acima da minha meta.

E no final das contas, mesmo 7,5 quilos acima da minha meta, eu estava assim:





Aí, depois da dieta do sofrimento, veio o efeito rebote, e algumas TPM, e com isso em junho eu já estava com 89 quilos. Tive um churrasco com os amigos do meu marido e eu fui. Gorda e enorme. Assim:



Não sei se vocês conseguiram entender direito. Então - faço questão - vou explicar de novo: em 2 meses e meio eu engordei 7,5 kg.


Ironicamente o mesmo que faltava pra minha meta (e eu não tinha percebido isso). Em abril faltava 7,5 quilos para minha meta, e em vez de emagrecer (e dava para ter emagrecido isso em 2 meses e meio), eu engordei mais 7,5, ficando à 15 quilos da minha meta.

É por isso que estou tão desanimada. É por isso. Agora me diz: não tenho motivo para estar desanimada?

E agora, mesmo com o desafio do arco-íris, mesmo estando na semana 10 do desafio do arco-íris, eu continuo lutando para sair de perto dos 89. E faltando 3 míseros meses para terminar o ano, eu continuo lutando contra essa tonelada que se acumulou no meu corpo.

Tá, prometo tentar me animar, prometo tentar não me sentir tão pra baixo. Mas me respondam com toda sinceridade: não tenho todos motivos do mundo para me sentir assim?

2 comentários:

  1. Já que falou pra ser sincera, eu vou ser! rsrsrsrsrsrs

    Onde você queria perder mais 7kg na foto com 81? Bom, pelo jeito você é alta (1,80m pra mais ou estou erradíssima?). É chato ficar falando "ai, você tá bem" se você não está. Mas pela foto, seu corpo estava muito bonito!

    Não te achei gorda em nenhuma das fotos. Mas é você quem tem que achar. Então não sei o que comentar, na verdade...

    Mas vale a pena pensar (bom, eu acho que vale, eu penso muito nisso): que corpo queremos e que corpo conseguimos ter? Porque eu nunca na vida vou ter 1,80m mesmo com toda força de vontade do mundo (afinal, eu tenho 1,57m e isso é imutável). Eu não quero ser magra de forma alguma também. Eu quero ser sarada, gostosa, corpo tipo Sheila Carvalho e por aí vai. Porque eu sou baixinha, tenho ombros largos (minha mãe e irmã também, a descendência italiana brigando no meu corpinho), tenho quadril largo, tenho bunda grande, coxa grande... Se eu quiser ficar igual a, sei lá... Carol Castro, não vou ficar nem se eu passar fome! E caso eu chegue lá (quando eu pesei 45kg, por exemplo), eu fiquei com cara de doente, fiquei feia pra dedéu! Hoje eu quero o que o meu corpo aguenta. Ele aguenta endurecer as coxas já grossas. Aguenta secar a gordura pra apenas dar mais forma ao que já tem aqui... Não quero brigar com meu corpo a vida toda. Chega disso!

    Outra coisa que eu penso bastante: isso é eterno, afinal? As nossas insatisfações, a busca pelo perfeito? Que perfeito? Eu nem sei, pra falar a verdade. Acho que existe uma linha muito fina que separa acomodação da satisfação (já escrevi isso no meu blog). Eu posso estar satisfeita com o que eu já tenho e ainda assim querer secar gordura por exemplo.

    Mas principalmente: o MUNDO poderia parar de pregar o certo/errado/ bonito/feio e por aí vai. Porque isso enche tanto a nossa cabeça que a gente fica muito, muito bitolada. E frustrada. Porque alcançar a perfeição... é difícil, né? Talvez impossível.

    Só pra fechar: tá linda, e adorei o vestido!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu comentário. Gostei tanto que não dá pra responder aqui. A resposta merece um post novo. Eis o linque dele:

    http://sheradedieta.blogspot.com.br/2013/09/um-belo-dia-resolvi-mudar.html

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...