segunda-feira, 30 de setembro de 2013

EU


Semana 11


Desafio do arco-íris

Bom, já se passaram 10 semanas do meu desafio do arco-íris



E não só as coisas não mudaram, como também pioraram. Estou pra dizer que nessas 10 semanas mais teve mais chuva do que arco-íris.




Vamos aos números trágicos: comecei o desafio há 10 semanas com 89 quilos, e hoje estou com 89,9 kg. Isso é péssimo. 



Usei a cor azul para as semanas que emagreci e a vermelha para as que eu engordei. E fiz questão de manter quais eram as minhas metas para o choque ser ainda maior. E se analisarmos as falhar, perceberemos que o meu problema foram dois: TPM e minha viagem para casa dos meus pais.  Na verdade o meu problema foi um só: EU. Mas tudo bem, vamos analisar as questões.....

Segunda semana....TPM: engordei 1,8kg.
Quarta e quinta semana......viagem: engordei 2,5 kg. E fiquei tão triste que na semana seguinte eu engordei mais 1,4. Com isso cheguei a 93,2kgr.  Eu sei, péssimo. 

Agora vamos avaliar o último mês: apesar de ter tido uma TPM ali no meio e ter aumento 1 quilo, no saldo do mês (de 2 a 30 de setembro) foi: - 3,3 kg. É um número ótimo apesar de não ser os 1 quilo por semana das metas, mas tudo bem. Agora imagina se eu tivesse feito isso desde o começo (mesmo engordando 1 quilo na TPM)....não quero nem imaginar. 

Espero agora seguir em frente. E que na próxima TPM eu consiga me controlar bem. Ainda tenho 4 semanas para o final do desafio. E apesar de saber que não chegarei em 28 de outubro com os meus sonhados 75 quilos (ou 76), eu sei que quero aproveitar da melhor maneira possível essas próximas 4 semanas. 

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Faça seu próprio iogurte natural

Por uma dica de uma amiga do face (a Eli Ra), e seguindo a minha onda natureba,  esta semana fiz meu próprio iogurte natural. Meninas eu nunca coloco uma receita aqui sem antes testar. Eu testei e ficou ótimo. 


Mas antes que me perguntem, deixa eu explicar: não é o iogurte grego. Iogurte grego é uma coisa, o natural é outra. O grego é cheio de açúcar e gordura, por isso faz tanto sucesso. O natural é aquele mais firme e azedinho. 

Dito isso....vamos à receita:

Você vai precisar:
- 500 ml de leite integral
- 1 colher de sopa de iogurte natural pronto
- 2 colheres de sopa de leite em pó (opcional)

Tá, a receita é muito simples mesmo, mas tem um monte de coisinha para explicar. 

Para o primeiro iogurte que você vai fazer, precisa ter um pronto. Desses comprados. Tem de várias marcas.


Mas os próximos, você já usa o próprio iogurte que você fez. E não vai mais precisar comprar. Ou seja, fica um iogurte super barato. 

Eu usei leite integral porque acho que a gordura ajuda no processo. Dizem que se fizer com o leite desnatado o iogurte fica bem sem graça. Mas eu não sei. O meu, eu fiz com leite integral. E eu coloquei as 2 colheres de leite em pó, mas quem não quiser, não precisa. Usa só o leite e o iogurte.

Outra coisa, o iogurte é só 1 colher mesmo. Se não ele fica muito ácido. 

Vamos lá pra o modo de fazer:

Pegue uma garrafa térmica de metal (que não pode ter gosto de café e nem de chá. Tem que ser uma que não tenha gosto de nada):


E foi ela que usei de "iogurteira".

Esquente metade do volume de leite (250ml). Não é necessário ferver completamente, o ponto é quando aparecer os primeiros sinais de “bolhas” de fervura. Junte o leite quente a outra metade, mexa. Teste a temperatura, experimente o leite no lábio. Você deve suportar o calor do leite, caso esteja muito quente deixe ficar morno. Pense....se você não suportar, o fermento lácteo do iogurte também não irá.

Acrescente, se quiser, as 2 colheres de leite em pó e mexa bem. Então, acrescente 1  colher do iogurte e mexa bem. Transfira para a garrafa térmica e feche bem. Deixar fechada com todas as tampas por 3 horas em temperatura ambiente, então, retire a tampa interna de vedação e deixar apenas com a tampa externa. E levar para geladeira. O leite irá esfriar lentamente, e se transformará no iogurte.

Deixe de um dia pro outro e passe o iogurte para o recipiente que quiser.  O aconselhável é usar até 1 semana. 

Quem quiser ver o site de onde tirei a receita, clique aqui.

Com esse iogurte dá pra fazer um monte de coisa, dá pra fazer receitas (veja aqui a receita de torta de frango), ou comer ele com frutas, ou mesmo bater ele com uma fruta para adicionar mais sabor. 


Eu calculei mais ou menos as calorias dele, e a cada 100ml tem umas 64. 



Em termos de calorias, ele tem uma certa diferença do Molico firme da Nestlé que só tem 65 calorias o pote de 160 gramas. Desse que fiz terei que comer menos. Mas ele não tem adição de adoçante e nem de conservantes. Ou seja, um pouco mais saudável. Mas comparado com o iogurte natural tradicional, que 170 gramas tem 126 calorias, o feito em casa é melhor. 

Eu fiz e adorei!!! E quem fizer, depois me diz o que achou!

Isso aí...


Por uma dieta mais saudável

Eu estou absolutamente cansada de fazer dieta. E não é pra menos, fiz dieta quase que a vida toda. Então decidi não mais fazer dieta, nem RA, e nem nada.....Tá, deixa eu explicar, é que eu quero ir um pouco mais além. 


Eu sei que to indo na contramão, que todo mundo tá indo pra um lado e agora estou resolvendo ir para o outro. E que isso pode não dá boa coisa. Mas quer saber? Vou tentar. Por um mês, vou tentar. Mesmo sabendo que tá no fim do ano praticamente, que quando chegar janeiro vou querer estar linda num biquíni, sei disso tudo, e é por minha conta em risco.

Mas devo dizer que exagerei no discurso. Preciso explicar exatamente o que quero fazer:

Vou continuar controlando as calorias - aliás, mais do que nunca. Vou continuar seguindo o meu cardápio base. Toda aquela coisa de diminuir açúcar, gordura e sem carboidrato depois das 18hs tá valendo. Inclusive tá valendo o dia do lixo. Ahhhh, então você não vai mudar nada? Na verdade, eu vou mudar tudo. O resto da minha dieta será desconstruido propositalmente. E eu quero só ver no que dá. 

Como assim? 

Pra começo de conversa, vou esquecer os alimentos light e diet. Quer dizer, não vou esquecer totalmente. Sabemos que eles salvam a pele de vez em quando. Na hora do aperto, não tem nada pra comer...mas eles não serão mais a base da minha alimentação. A minha alimentação a partir de agora e experimentalmente no próximo mês terá uma base totalmente natureba. Por que estou sendo tão radical? Porque eu cansei!

Esses produtos industrializados são umas mentiras, em sua grade maioria. Tem um monte de produto diet por aí com alto teor de gordura, tem um monte de produto light que apesar de terem diminuído a gordura, continua gorduroso de mais para o corpo. Tem um monte de gente achando coisas estranhas em sucos, leites e refris. Sem falar que em sua maioria são cheios de sal e de conservantes.



Sem falar que quando o alimento é diet ou light acabamos consumindo mais. Todo mundo é assim. Temos 120 calorias liberada pro pão. Se compro aqueles que cada fatia tem 30 calorias, como 3 fatias. Ou então, como só duas, mas incluo uma outra coisa. Então o que era para fazer a gente economizar nas calorias, está sendo usado para comermos mais, e com isso nosso estômago continua grande. Ele não se acostuma com pouca comida. E quando voltamos para os produtos naturais, inconscientemente queremos comer o mesmo tanto.  

Claro que minha dieta natureba não será da noite pro dia, ainda preciso construir ela, preciso aprender como se faz. Mas eu acho que ela tem tudo para dar certo. E acho que ela pode fazer muito bem pra mim. Pessoalmente acho que a expectativa de vida está só aumentando nos últimos anos, mas um dia ela vai cair drasticamente, por conta da alimentação. Nós comemos muito mal. Até a carne vem lotado de hormônios. E isso, pra mim, é muito grave. O plano agora não é comer o que emagrece, é comer o que faz bem.


Então, meu plano agora é ser natureba. Procurar por produtos orgânicos, ou mesmo fazer meu próprio alimento em vez de simplesmente comprar. Isso demanda tempo? muito. Dá preguiça? com toda certeza. Mas não podemos esquecer que foi a preguiça que nos trouxe aqui. Se não temos disposição para fazer um comida, onde vamos arrumar disposição para malhar. Bem, eu sou suspeita porque adoro cozinhar (acho que a maioria das gordinhas gostam), então chega de desculpa. Sem falar que cozinhar relaxa. É só fazer em maior quantidade e deixar pronto na geladeira, ou mesmo no congelador.E eu já comecei. Esta semana eu fiz pão. Tá, na máquina de pão, mas fiz.


A partir de agora vou fazer uma pesquisa dos produtos que realmente fazem bem, vou pesquisar também nos light e diet...vai que eu acho alguma coisa. Vou estudar quais as opções mais saudáveis. E sempre que der, vou produzir meu próprio alimento. Vou fazer uma hortinha com temperos. Quero cuidar mais do meu corpo, em vez de só colocar pra dentro um monte de produtos industrializados. 

Eu estou consciente de que sem a ajuda de todos os produtos light que usamos, terei que diminuir a quantidade (aliás já diminuí. O pão que eu fiz comi uma única fatia fina e somei os ingredientes que usei para saber mais ou menos as calorias). Aliás, este é o plano. Aprender a comer menos. Aprender a comer melhor. Estou adorando a minha fase natureba. Mas já digo de antemão que não serei aquelas naturebas radicais. Como eu disse, uma vez por semana terei o dia de lixo. Poderei comer no Mc quando eu quiser. Mas acho que com minha mudança alimentar, o meu paladar vai mudar, e acho que vou dar cada vez menos atenção às guloseimas.

E com produtos mais consistentes e integrais, acho que apesar de comer menos, eu vou ficar mais saciada. 

Enfim, é só um plano, vou experimentar e ver no que vai dar. Vamos ver como será a minha versão natureba!

Vamos continuar no caminho certo então....


Um belo dia, resolvi mudar....

O meu post de ontem teve um comentário que a resposta merece um novo post. Então vamos lá (esse é pra você Mi):

Ontem eu escrevi sobre eu ter engordado 7,5 quilos em dois meses e meio. De abril a junho. E só para relembrar, eis a foto do antes (com 81,5 quilos, antes de engordar os 7,5):


E a Mi (adoro os comentários dela) me escreveu algo que me fez pensar. Aliás ela escreveu um monte de coisas que me fez pensar (para conhecer o blog da Mi, clique aqui). Ela me disse :

"Onde você queria perder mais 7kg na foto com 81? Bom, pelo jeito você é alta (1,80m pra mais ou estou erradíssima?). É chato ficar falando "ai, você tá bem" se você não está. Mas pela foto, seu corpo estava muito bonito!"

Sim, sou alta. Tenho 1,78 m (a Mi quase acertou). E falando bem francamente, com 81 eu me sinto gorda e enorme, e isso não tem como ser mudado. Realmente, no final das contas, vale como a gente se sente. E no fundo, realmente é chato quando as pessoas ficam te dizendo o quanto você deve pesar. Mas por incrível que pareça, com a Mi (talvez por a gente já se dar bem) eu não só não liguei, mas como resolvi escutar de coração aberto. E com isso, escutando de coração aberto, me fez perceber algumas coisas. 

Primeiro: quero deixar claro aqui que a nossa meta de corpo muda. E muda dependendo de como estamos agora. Queremos sempre melhorar, é verdade, e nossa comparação parte de como nosso corpo está no momento. Quanto mais lindo ele está agora, mais longe queremos chegar, e exigentes ficamos. Ou seja, Mi, não sei se essa busca pelo corpo perfeito vai acabar, mas espero que sim. Toda mulher, em algum momento na vida, merece paz. Parar de procurar o corpo perfeito e viver com o que tem.

Segundo, quero só fazer uma observação: pelo IMC com 81 eu ainda estou no sobrepeso. Eu só entro no peso normal abaixo dos 78,5 kg. E nas minhas avaliações com a nutri e na academia, todos confirmaram que minha meta seria os 74.  

Bem, eu poderia pegar umas fotos antigas para tentar explicar porque me sinto gorda com 81. Mas deixa pra lá. Porque, sinceramente, isso não vai mudar. Então deixa eu tentar explicar porque queria tanto eliminar mais 7 quilos e chegar aos 74. 

Então fui ver umas fotos antigas, para explicar porque eu queria tanto chega aos 74. E achei essas fotos. Nesta época (2011) estava com 76 ou 75,5. Algo assim:


Pra variar, eu tinha uma festa para ir (sim, sou motivada por festas...hehehhehe). 


Como eu disse, aqui eu estava com uns 76 e queria só eliminar mais uns 2 quilos para perder a barriga. Olha outra foto da mesma época (e pra outra festa):


Tá, peguei um monte, olha outra, dias antes das festas, pegando uma cor:


Olhar essa última foto me faz querer chorar ao olhar para mim hoje, mas enfim, a questão é: por mais que não esteja tão ruim com 81, quero este meu corpo de volta.

E como eu disse, resolvi aceitar seu comentário da Mi de coração aberto, e o fiz. E ela me fez perceber algo. Olha.....e que ela se sinta hiper considerada com isso, porque quando o assunto é quantos quilos quero ter eu não costumo ouvir ninguém (é que o comentário me pareceu profundamente sincero). 

Eu percebi que quando e estava aí com os 76 eu estava sim infeliz com meu corpo. Tinha barriga, gordura aqui e ali (que na foto deitada não dá pra perceber porque estou deitada). Mas o que ela me fez perceber é que neste momento da minha vida, eu não precisava emagrecer mais nada (claro, pode ser que quando eu chegar lá de novo, a minha ideia mude, mas hoje ela me fez pensar assim). Eu estava infeliz e barriguda porque eu estava flácida. Super flácida. Não precisava emagrecer, precisava fazer musculação e moldar meu corpo. E só agora, graças a Mi, eu percebo isso. Obrigada Mi. Retirar aí uns 2 quilos da minha lista de quilos a serrem eliminados parecem nada, mas faz uma diferença enorme.

Vê essas fotos de 2011, me faz perceber que meus sonhos são possíveis. Eu sei que temos a limitação que o nosso corpo nos dá (e eu já escrevi sobre isso. Lei a aqui). Mas ao olhar essas fotos, não me vejo esquelética, nem "magra de mais". Me vejo magra. Magra como eu gostaria de ser. Ponto. E eu queria estar lá de novo, quero chegar lá. Falar verdade, ver essas fotos me dá um novo gás. É claro que as musas nos inspiram, quero ser que nem a Jennifer Lopez, quero ser que nem a Juliana Paes, e elas inspiram mesmo. Mas hoje eu finalmente percebi algo: eu quero ser como eu mesma. Lá em 2011. Com algumas (váriasssss) aulas de musculação a mais. Mas é isso o que eu quero ser: eu!

Obrigada pela força de sempre Mi!

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

E estou indo me buscar


Naquela hora em que o desânimo bate....

Eu ando tão desanimada...e não é pra menos....toda TPM eu me entrego às guloseimas e perco em dias o que eu conquistei em semanas. Não aguento mais essa vida. E todo mês eu falo o quanto será diferente, e nunca é. Por que será que é tão difícil lutar contra os hormônios?

O resultado disso é uma pessoa cada vez mais gorda e infeliz. Aí eu - que já tenho mil coisas pra fazer dentro de casa - fico não querendo sair. O fato é que não quero que as pessoas me vejam. Não quero ter que lidar com os olhares desaprovadores das pessoas ao perceberem que engordei de novo. Posso estar errada, mas acho que esse meu receito tolo não é só meu. Acho que todo mundo que engorda sofre disso. Mas o meu é potencializado por eu ser neurótica de natureza. Fico com medo de que meu marido receba convites, aceite e eu tenha que ir, gorda. 

Eu sei, tenho que ter vida mesmo acima do peso, blá blá blá. Mas eu não gosto de ser gorda, então gosto de fingir que não sou, que não estou e que nunca fui. Gosto de fingir que tenho uma relação normal com a comida. Não quero que as pessoas saibam que sou uma comedora compulsiva, e que por isso não sei me controlar, não sei controlar meus sentimentos, enfim, que sou uma pessoa fraca. Acho que ninguém gosta de mostrar o seu lado fraco. Todo mundo quer ser forte, quer parecer forte. E por isso não quero que as pessoas me vejam gorda e me imaginem quantas batalhas perdi para a barra de chocolate. 

Eu sei, todo mundo passa por isso, mas todo mundo diz que não posso me sentir assim. Eu sei. Também sou assim. Mas eu não consigo me sentir diferente. E agora vou explicar o porquê. Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras, então vamos lá:

Comecei o ano pesando 84,2 kgr. E até março foi um sobe e desce danado na balança. Até que eu tive uma festa pra ir em abril (e eu estava com 84 quilos). Então fiz a dieta do sofrimento. Em uma semana e meia fui para 81,5 kgr. E fui na festa linda e elegante, apelar de estar ainda 7,5 quilos acima da minha meta.

E no final das contas, mesmo 7,5 quilos acima da minha meta, eu estava assim:





Aí, depois da dieta do sofrimento, veio o efeito rebote, e algumas TPM, e com isso em junho eu já estava com 89 quilos. Tive um churrasco com os amigos do meu marido e eu fui. Gorda e enorme. Assim:



Não sei se vocês conseguiram entender direito. Então - faço questão - vou explicar de novo: em 2 meses e meio eu engordei 7,5 kg.


Ironicamente o mesmo que faltava pra minha meta (e eu não tinha percebido isso). Em abril faltava 7,5 quilos para minha meta, e em vez de emagrecer (e dava para ter emagrecido isso em 2 meses e meio), eu engordei mais 7,5, ficando à 15 quilos da minha meta.

É por isso que estou tão desanimada. É por isso. Agora me diz: não tenho motivo para estar desanimada?

E agora, mesmo com o desafio do arco-íris, mesmo estando na semana 10 do desafio do arco-íris, eu continuo lutando para sair de perto dos 89. E faltando 3 míseros meses para terminar o ano, eu continuo lutando contra essa tonelada que se acumulou no meu corpo.

Tá, prometo tentar me animar, prometo tentar não me sentir tão pra baixo. Mas me respondam com toda sinceridade: não tenho todos motivos do mundo para me sentir assim?

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Canela: os perigos do excesso de canela

Vamos às últimas notícias e últimas loucuras....mas vamos por parte. 

Para quem não leu os posts de antes, sobre a onda de café com canela, leia aqui. E veja minha receitinha aqui.

Mas resumindo....eu entrei na onda do café com canela para acelerar o metabolismo. E devo dizer que acelera mesmo. 


E eu até andei pesquisando sobre o assunto, me informando mais. Olha as informações que achei (faço questão de colocar aqui):

Quer emagrecer? Substitua o açúcar e o adoçante por canela


- Uma xícara de leite quentinho com canela em pó, antes de dormir, garante um sono tranquilo e ainda ajuda a emagrecer.

- Elimine o açúcar e o adoçante. A canela já faz esse papel.

- A canela quase não possui calorias, e ainda ajuda a perder de peso.

 - Tem efeito termogênico: ela aumenta a temperatura do corpo, facilitando a queima de gorduras.

- Combate as bactérias ruins do corpo:O óleo essencial da canela age combatendo bactérias e fungos nocivos. Esse processo desinflama os tecidos.

- A canela faz o estômago esvaziar mais devagar: Com alimento no estômago por mais tempo, a fome demora mais para chegar.

- Tira a vontade de comer doce: Como a canela tem um sabor adocicado, é possível usá-la para adoçar o leite, café, sucos e vitaminas.

- Previne o envelhecimento precoce. Algumas substâncias presentes na canela combatem os radicais livres, deixando a pele firme e o cabelo mais saudável.


Sugestões de consumo:
- Asse uma fruta no forno (maçã, banana ou pera) e polvilhe um pouco de canela. A fruta fica mais doce, sem ganhar calorias extras.
- Em bebidas quentes, acrescente uma unidade de canela em pau.
- Em receitas de bolo, substitua uma colher de açúcar por uma de canela. Em vez de usar calda de chocolate, polvilhe canela em pó sobre o bolo.
- Uma colher de chá de canela por dia é suficiente para ter todos os efeitos benéficos da especiaria.
- Pessoas com pressão baixa e gestantes devem evitar a canela, pois ela ajuda a baixar a pressão arterial e pode ter efeito abortivo.

E não foi só isso que eu achei. Olha só mais informações:  

Canela acelera o metabolismo e ajuda a emagrecer




Canela acelera o metabolismo e emagrece devido suas propriedades termogênicas ela aumenta a temperatura do corpo, facilitando a queima de gorduras.



Canela benefícios

Canela benefícios que nos oferece segundo estudos realizados nos Estados Unidos, foi descoberto que o uso diário da especiaria reduz significantemente o açúcar no sangue e reduz a taxa de colesterol (LDL) e triglicerídeos.



Favorece a perda de peso

Reduz o açúcar do sangue impedindo que vire gordura. Acelera o metabolismo facilitando a queima de calorias. Melhora o trabalho intestinal.Reduz a fome de forma natural.



Canela emagrece

Canela emagrece devido seu efeito termogênico, ela provoca o aumento da temperatura corporal e para equilibrar novamente o calor do corpo nosso organismo é obrigado a gastar mais energia, para isso utiliza a gordura acumulada.



Propriedades anti-inflamatórias


Combate bactérias e fungos nocivos, processo que desinflama os tecidos, permitindo que as células respondam melhor à dieta de emagrecimento.



Diminui a fome e vontade de comer doce


Tem propriedades que desaceleram a digestão, por isso ajuda a manter a saciedade por mais tempo. Além disso seu sabor levemente adocicado, sacia o desejo de comer doce, sem somar calorias na dieta.



Canela em pó

Canela em pó é a maneira mais prática de consumir a especiaria, podendo ser facilmente encontrada à venda em supermercados. Pode acrescentá-la em bebidas quentes, frutas e no preparo de doces ou até mesmo sobre a comida.



Canela como usar

Canela como usar segundo nutricionistas ela pode ser misturada à frutas como maçã, banana ou pera, asse a fruta no forno e polvilhe um pouco de canela. A fruta fica mais doce, sem ganhar calorias extras. Ou pode simplesmente adicionar a canela em bebidas quentes como leite, chás e achocolatados.



Atenção. A quantidade recomendada é apenas uma colher de chá de canela por dia, esta quantia já é suficiente para ter todos os efeitos benéficos da especiaria.



Canela contra indicações e efeitos colaterais são devido sua ação anticoagulante por isso deve ser evitada por pessoas com pressão baixa e gestantes. Em grandes quantidades durante a gravidez pode haver à possibilidade de efeitos nocivos sobre o útero.

Eu achei as informações dessa segunda reportagem bem mais completas, eu já digo porque. Mas quando li, há mais ou menos 1 mês atrás, não dei muita bola. Mas tem coisas ali que são muito importantes de serem ditas, e faço questão de dizer de novo:

" Atenção. A quantidade recomendada é apenas uma colher de chá de canela por dia. Contra indicações e efeitos colaterais: são devido sua ação anticoagulante" 
Mas como eu disse, a principio isso passou despercebido por mim. Afoita e ansiosa para consumir canela e acelerar o metabolismo nem reparei nessa parte. 
Então, estava eu tomando meu café com canela, quando me deparo com um comentário no meu post. E a guria disse: "eu tava tomando, mas meus dentes estavam ficando muito escuros por conta do café, então parei". Aquilo ficou na minha cabeça, e eu comecei a reparar os meus. Toda vez que eu tomava café com canela, corria para escovar os dentes, mas não adiantou, o café escurece mesmo os dente.

(Photography by Jonas Kroyer – http://www.jonaskroyer.dk )

E é claro que eu não quero ter dentes escuros. Precisava, então, achar uma outra solução. Pensei logo de cara: vou tirar o café e ficar com o chá de canela. Tentei então fazer chá de canela com gengibre (que é outro termogênico), mas não gostei do gosto. O gengibre tem um gosto muito forte. Fiquei então, apenas com o chá de canela.

Mas aqui eu preciso fazer uma confissão: mudei a receita do meu chá. Porque olha só, com o café, eu fazia o café e colocava um pauzinho de canela dentro.....e olha, fiz isso por muito tempo e nunca tive problema. Mas quando fui fazer o chá de canela, fiz ele super, hiper concentrado. Coloquei uns 15 pau de canela na panela, coloquei água até cobrir e deixava no fogo até a água estar reduzida e o chá quase que grosso. 

Loucura, eu sei, doideira pura. E não foi só isso, tomei o meu chá concentrado de canela como eu tomava meu café com canela: 4 vezes ao dia. Isso não ia prestar. Só eu que não percebi isso. E eu tomava naqueles copinhos de licor (chegava a ser engraçado). Enchia o copinho de licor e virava que nem se faz com tequila......kkkkkkkk. Quatros vezes por dia. Eu sei, não é engraçado. Fiz isso por 2 semanas e alguns poucos dias, quando um belo dia, eu nariz começou a sangrar. Acho que eu devo ter machucado ele, mas ele ficou uns 4 dias sangrando. Não direto. Mas toda vez que eu mexia nele, ele sangrava de novo. Gente, eu nunca tive problema de nada, não era normal. E eu comecei a pensar no que poderia ser. Foi quando eu pensei: "será que a canela é anticoagulante?". Sim, porque isso explicaria tudo. E era a única coisa diferente no meu dia-a-dia. Mas eu nem lembrava das informações do site que coloquei ali em cima. Nem lembrava mesmo. Então fui procurar. Olha só o que eu achei (também faço questão de colocar aqui):


Canela em excesso: perigo!

Canela em excesso: perigo! Este aviso é dedicado aos que são amantes desta especiaria, e chegam mesmo a abusar do uso, ou desconhecem a interação que pode ter com outras substâncias. Os benefícios são grandiosos, mas é necessário estar ciente dos efeitos secundários, quando da ingestão, ou em demasia, ou sob determinadas circunstâncias. 

Conheça onde mora o perigo:

Jamais aplique o óleo essencial de canela diretamente na pele. Somente diluído em água é que este óleo essencial pode combater infecções cutâneas. Sozinho pode chegar a causar queimaduras, ou no mínimo, irritações. E, ainda que raras, as alergias podem se manifestar no corpo.

Quando usada para tratar problemas digestivos, como a Síndrome do Intestino Irritável, ou uma úlcera, a ingestão também deve ser moderada. A canela é tão potente que pode provocar sérios danos as paredes do estômago. Nunca ultrapasse a ingestão de meia colher de chá por dia. Também pode provocar aumento na frequência cardíaca, e se estivermos a falar de crianças, pode haver intoxicação. E devido a presença da substância cumarina, o perigo de toxidade também se estende para aqueles com problemas renais graves.

Conhecida por suas propriedades anti coagulação do sangue, não poderá ser consumida ao mesmo tempo que medicamentos anticoagulantes, sob o risco de afinar o sangue a um nível preocupante. É por isso que sua ingestão deve ser evitada antes de uma cirurgia, no decorrer do período menstrual, ou em situações onde possa ocorrer sangramento.

Aqueles que bebem medicamentos para regular o açúcar no sangue precisam ter cuidado especial. A canela possui um efeito poderoso sobre o açúcar no sangue. Logo, em combinação com remédios alopáticos destinados a este tratamento, pode diminuir o nível de açúcar de maneira drástica.

Estamos falando de um dos melhores antibióticos naturais. Todavia, é de fundamental importância consultar um médico, ou herbalista, antes de optar por seu consumo, pois pode interagir com um grande número de substâncias, e fazer mal, em vez de bem. Um chazinho inocente de canela pode se transformar num vilão para o organismo. Quando se trata de canela, moderação é a palavra de ordem. 


Olha só o perigo. Isso porque eu me esqueci da palavra-chave da Reeducação Alimentar: moderação. Isso poderia virar algo muito sério. Não dá pra brincar com a alimentação. Mesmo porque a diferença entre remédio e veneno é a dose. Então não dá pra abusar de nada. Em se tratando de reeducação Alimentar as grandes palavras são variedade e moderação. Aprendi isso no susto. E posto aqui para que não cometam o mesmo erro. A canela é ótima, acelera o metabolismo, mas não dá pra abusar.

Então eu fiquei 1 semana sem tomar nada de canela, para desintoxicar o organismo. E recomecei a tomar hoje. Continuo fazendo meu chá concentrado. Mas estou tomando só uma única colher dele por dia. Olha a diferença, de 4 copinhos de tequila para 1 colher.....mas estou ainda em processo de descoberta. Vou ficar de olho pra ver o que acontece. A partir de agora quero ter uma alimentação mais consciente. Quero prestar mais atenção aos alimentos e aos rótulos. Quero uma vida (não só uma alimentação) mais equilibrada.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Toda mulher deveria ver este vídeo

Vídeo retirado do site "Make, coisa e tal".

E vou reproduzir aqui as palavra de lá:


Mulheres mudam radicalmente o visual e deixam seus companheiros impressionados

"Toda mulher reclama que os homens, de um modo geral, não costumam notar as mudanças no seu visual. Mas e se a mudança fosse radical? Qual seria a reação deles? Para saber a resposta, três lojas lançaram uma campanha divertida provando que toda mulher merece e pode ganhar um elogio.

As lojas convidaram mulheres para participarem de um desafio: passar por uma super transformação durante um jantar, maquiagem e figurino - toudo isso com um detalhe: sem que seus companheiros soubessem. O resultado foi muito bacana. Vale assistir!
"



Todo relacionamento tem esse momento mágico. Claro que no vídeo ele foi potencializado pela surpresa. Mas a questão é: não devemos deixar esse momento mágico morrer.

A Teia de Aranha Alimentar - Primeira Parte:Dependência Física

Para quem está chegando agora, as outras partes do livro:

Introdução


Já falei em outro post sobre a dependência emocional com a comida, que foi a "Primeira Parte: Dependência Emocional". Agora vou tratar da dependência física.

Aliás "Dependência Física" é uma denominação minha, e me refiro à dependência gerada pelo cérebro, pelas reações que acontecem no cérebro e no corpo quando comemos. 



Quando comemos hormônios, enzimas e neurotransmissores são liberados. E muitas vezes, desse processo complexo nasce um vício simples: gostamos do que acontece e queremos que isso aconteça de novo, e a todo instante. Então comemos mais. Mas não nos conscientizamos do vício. Lidamos com isso como algo normal e que pode ser controlado. “Enquanto consumimos, acreditamos que podemos controlar esse consumo, mas chega o momento em que não podemos, pois é a droga que acaba nos controlando: vivemos para consumir e consumimos para viver.. A droga em questão, é a comida, em forma de gordura, açúcar e carboidrato. O autor compara a comida à droga. Porque apesar de ter composições bem diferentes, elas podem gerar relações parecidas: de dependência. Então, porque esse homem não consegue largar a cocaína? Porque não tem capacidade egoica suficiente e não suporta a ideia de viver sem essa satisfação instantânea que a droga proporciona.



E nós - comedores compulsivos - temos essa mesma relação com a comida. Não conseguimos para de comer porque não suportamos a ideia de vivermos sem essa satisfação instantânea. Ainda não se acha viciado? “Como é que você já fez 30 ou 40 dietas em sua vida, se cada vez que começava cada uma elas dizia que era a definitiva? Foi seduzido pela comida ou estava de joelhos, só esperando que ela caísse em cima? Talvez sentisse, enquanto mastigava sem parar, que tinha um desempenho melhor (como o cocainômano) e, agora, a balança diz que, na realidade, fazia de conta que rendia, mas estava sendo anulado.

Porque os viciados em cocaína começam a consumir a droga por achar que ela aumenta o seu rendimento. (a cocaína tem essa particularidade). E nós com a comida fazemos igual. Quando estamos de dieta nos sentimos fracos, literalmente apáticos. E muitas vezes comemos um chocolatinho para "melhorar". Para "aumentar a glicose" e "render mais". Mas depois que encontramos a felicidade no primeiro bombom, não paremos mais de comer. Porque no nosso organismo a comida gera conforto, gera felicidade. E como eu disse no post sobre dependência emocional, fugimos da realidade infeliz procurando a felicidade instantânea na comida. 

E pesando por este lado, realmente existe o “sou gordo, mas sou feliz”. Mas para o gordo ser feliz o tempo todo, ele precisa comer o tempo todo. E isso não é felicidade. E depois do primeiro bombom, não conseguimos parar de comer. Porque somos compulsivos. As pessoas não-compulsivas conseguem comer 1 bombom e parar. Os compulsivos não. Porque o que acontece quimicamente no corpo de um compulsivo ao comer é diferente do que acontece a um não-compulsivo. E ficou diferente graças a anos de compulsão. “Os cérebros e os comportamentos dos adictos a substâncias não são iguais aos das pessoas não adictas, já que o abuso de uma droga altera de forma radical os circuitos neuronais que regulam as sensações de prazer, criando progressivamente uma forte dependência fisiológica da droga em questão”.


Comemos por tentação, por causa do aroma e de todos os sentidos: o sentido da visão (tentador), o sentido do olfato (que faz com que se vá atrás), o sentido do gosto (induz a respeito), o sentido da audição, o sentido da audição (ruído e palavras que representam imagens). Mas quando se começa a comer, tudo depende do tipo de comida que está sendo ingerido e da estrutura da personalidade de quem come. Se nessa estrutura o comer é gratificante, mas não é tudo, ele chega ate um limite e para, pois o sistema leptina-grelina-exina é bem organizado, assim como tudo o que se relaciona com o equilíbrio do sistema hormonal. Contudo, em outros casos, esse equilíbrio se rompe pela ingestão constante decorrente da ansiedade ou de um hábito repetido, por tédio ou por intolerância a frustração. Pouco a pouco, a quantidade aumenta até gerar uma relação de dependência patológica com a comida. Muita gente entra na engorda paulatinamente por estresse, o que faz com que a necessidade de uma dose seja veemente e voraz. Depois de engordar e de incorporar esse comer compulsivo ao funcionamento do organismo, a gordura já desestabilizou o equilíbrio corporal e o comportamento já funciona de forma imediata, automática e mecânica. Consequentemente, quanto a pessoa quer parar de comer, ela não consegue mais.



Em todo o circuito anterior, os chamados ‘desejos’ e ‘tentações’ têm grande relevância. Os primeiros são mentalizações de determinadas vontades que se transformam em momentos obsessivos, em desejo de comer algo. As tentações são externas, pois há pessoas que, se não veem, não comem, não cheiram e não ouvem: esquecem a comida. Se vivem em um ambiente acético de alimentos, não ficam ligadas à comida. Entretanto, basta um estímulo para que embarquem: isso é uma tentação

E depois que a comida gera uma dependência, por trazer a felicidade imediata, ela vira um instrumento. “Como afirma Daniel Goleman: ‘A comida pode ter uma influência notável no estado de espírito e pode, inclusive, atuar como automedicação, como acontece com os remédios’.” E depois que o vício se acomoda, é difícil fazê-lo ir embora. Aliás é difícil fazer ir embora o vício e os quilos a mais, pois “todas as comidas têm capacidade de entrar e pouca vontade de ir embora

Segundo o livro, as consequências do uso de farinhas, açúcares, chocolates, gordura e sal no cérebro são: o aumento nos níveis de dopamina, serotonina e norepinefrina. Vamos analisar cada um desses neurotransmissores:

Dopamina: "fortemente associada aos mecanismos de recompensa do cérebro e às energias. Todo um conjunto de substâncias, que vão desde a nicotina até as farinhas, passando pelo álcool e pela cocaína, aumentam suas produções e, por isso, a vivência imediata e fugaz de euforia e energia."

Serotonina: "é associada à calma, à paz, a sensação de alívio, à serenidade de espírito, ao sorriso. Em níveis excessivamente baixos, relacionam-se com a depressão e com o comportamento obsessivo-compulsivo. Seus níveis baixos também estão intimamente associados ao aumento do desejo de ingerir carboidratos."

Norepinefrina: "é um neurotransmissor fortemente associado com a colocação de nosso sistema nervoso em “alerta máximo”. É responsável, junto com outros fatores, pelo aumento da frequência cardíaca e da pressão sanguínea. A noreponefrina, também conhecida como (nor)adrenalina, é o grande neurotransmissor da excitação, da aceleração, do estado de alerta e de ataque."

Quando comemos e liberamos esses neurotransmissores, gostamos da sensação. E a queremos de novo. E quanto mais comemos, mais os liberamos e mais nos viciamos.

E apesar de a comida ser comparada às drogas, o tratamento é diferente. “Nas adições químicas, a maioria dos tratamentos implica a suspensão absoluta de ingestão tóxica: nada de álcool, cocaína, heroína, é o comportamento a ser mantido. Claro que isso não vale para a comida: a substância ‘comida’ é vital e necessária." Mas precisamos lidar com o vício, e o primeiro passo para lidar com o problema, é enfrentá-lo.“Dante em sua Divina Comédia: ‘a única forma de saber como sair do Inferno é colocar-se em seu próprio centro, em sua parte mais incandescente’.

Não podemos mais alimentar o vício. “Quanto mais se repete uma sensação, mais o cérebro se acostuma com a recompensa e busca aquele prazer. Quando o cérebro se habitua a um nível alto de dopamina, começa a sofrer com sua carência, o que leva à busca de uma nova experiência igualmente prazerosa.”. E neste momento é importante ficarmos alerta. Para não substituir um vício pelo outro. O que é muito comum. Queremos a felicidade instantânea, e não podemos comer porque estamos de dieta. Então começamos a procurá-la em outros lugares: cigarro, álcool, compras.....neste caso, não estamos lidando com o vício, estamos apenas mudando o fator reagente. E se não lidamos com o vício ele continua a existir, firme e forte. E com isso, logo voltamos para a comida. E engordamos tudo de novo.

Para enfrentar o vício, o primeiro passo é se aceitar adicto. Reconhecer a fraqueza para tornar-se forte. “A dependência psicológica é um elemento-chave nesse tipo de patologia. (...) Trata-se, então, de reconhecer, de aceitar o nosso lado vulnerável que, no caso da obesidade, expressa-se no excesso de comida e de peso, e que em outro âmbito se evidência no excesso de álcool, de drogas, de tabaco, de trabalho, de gastos etc. Uma vez detectado o nosso lado vulnerável, é preciso cuidar dele, não questioná-lo. Temos de saber que ele é estrutural  em nossa vida e que não vai desaparecer, sempre estará lá, esperando nosso ‘sim’. Um adicto vive constantemente em recuperação, em distintas fases desse processo, mas nunca perde sua condição de adicto: mesmo que não desenvolva ativamente a condição, ela estará sempre latente.” Esse cuidado pra não alimentar nosso vicio tem que ser para sempre. Teremos que, eternamente, ter cuidado com o que comemos e por que comemos.



 É preciso manter o instinto primário sob vigilância e, para isso, é necessário conhecê-lo, observá-lo, saber que situações conduzem à sua explosão. Isso requer treinamento, que se obtém com o exercício continuado da hábitos não aditivos – um processo que leva tempo: não se acaba em poucos dias com o que foi construído em mais de 20 anos de gordura.”Acostumamos o nosso corpo a ser viciado em comida. Agora precisamos tirar esse costume dele. E com o mesmo método: repetindo as ações. Só que agora precisamos repetir ações saudáveis. Sempre e mais uma vez, até que vire hábito. 

E assim termina a primeira parte do livro, onde o autor fala da nossa relação com a comida.  Na segunda parte o autor fala da aceitação. De assumir nossa culpa em nosso vício para que possamos controlá-lo mais conscientemente e perceber o que funciona o gatilho. Mas isso é papo para um outro post.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...