quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Dica do dia


86

Eu sei, eu não sou um número. Eu sei, a balança não mostra a realidade dos fatos. Eu sei, eu tenho que me libertar disso tudo. Mas é mais forte do que eu, então vou dizer: a balança está de brincadeira comigo. Não, ela criou vida própria e está me avacalhando. Só pode!


Eu sei, eu sei. Aliás, eu sei de muita coisa. Só não sei porque o ponteiro da balança não quer descer. A balança empacou nos 86. Mas que droga. 


Mas que droga!

Antes que peçam para eu me acalmar (eu vivo me pedindo isso), deixa eu explicar: comecei o mês de novembro com 87,6 kgr. E desde de então a balança oscila entre 86 e 88. E ficou nesta brincadeira o mês todo. Em plena véspera de natal, praticamente perdi um mês inteiro.

Mas eu não estava preocupada com isso. Não mesmo. Até esta semana começar. Estou com meu projeto novo (que, eu sei, ainda não contei como funciona, mas preciso primeiro entendê-lo), e com o meu super projeto, não tem como a balança não se mexer. Pois, a minha balança é diferente. Ela não se mexeu. 

Semana passada eu estava mega feliz, praticamente emagreci 2 quilos na semana. Mas quando meu peso chegou nos 86, ele parou ali, se amarrou ali, e se negou a descer. Isso, devo confessar, está me irritando. Eu tendo um dia de esforço depois do outro, sem parar para pensar. Só fazendo o que deve ser feito, e a balança nada......irritada. Muito irritada.

Mas tudo bem, é só um dia ruim, e preciso aprender a lidar com eles. É respirar fundo e seguir em frente. E é o que eu vou fazer....

Mas, balança querida, nenhuma grama? Nenhuma graminha, queridinha. Facilita aí, vai......

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Semana 19

A ultima semana foi muito boa....nesta eu quero fazer ainda melhor! Vamos nessa!


Reformando a casa.....ainda

A casa está uma bagunça....em processo de reforma. E não chegamos nem na metade. E eu ainda estou querendo aprontar tudo para o natal. Apesar saber que, possivelmente, não conseguirei terminar tudo até lá, eu ainda quero. Desejo. 


Estamos quase finalizando o primeiro cômodo (e ainda falam mais 3). Passamos o fim de semana pintando o quarto. Eu e meu marido nos divertimos pintando a parede. Eu gosto. Eu acho divertido. Sem falar que gasta calorias....coisa boa. 


A cor, foi o marido que escolheu. A princípio eu queria uma outra, mais para tom de marrom. Mas o Renato gostou desta, com tom de verde. E eu aceitei. A cor é Folha Seca. 


Espero que combine com meu quadro depois de tudo pronto. Eu queria um tom de marrom para combinar com o quadro que vou usar na decoração. Uma gravura de uma obra de Klint. Eis aqui a figura:

Adoro Klint. Adoro. Quando o quarto tiver finalizado - ou pelo menos quase finalizado - prometo colocar fotinhos. É isso que quero para o final de 2013: casa nova, corpo novo...tudo lindo e combinado. Tomara que dê tempo para tudo!

Doação de Kefir

Agora sou doadora de Kefir


E estou mega feliz com isso. Os meus bichinhos estão crescendo tanto. Estou amando isso. Me inscrevi como doadora no site em que consegui os meus. E no mesmo dia que me inscrevi como doadora apareceu uma interessada. E no sábado eu fiz a primeira doação de kefir.

É tão bom você poder passar adiante coisas boas, e não é só o produto, é o sentimento.....Eu sei que já disse isso, mas vou dizer de novo: mega feliz.

Eu ainda não sei como faz para mandar kefir pelo correios, mas quem morar em Porto Alegre e quiser o Kefir, me avisa que estou doando. E que for do ES (Grande Vitória), vou pra lá em janeiro ver minha família e posso estar levando também......é tão bom espalhar coisas boas pelo mundo. E eu vou espalhar kefir!

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Alimentos que parecem ser saudáveis...mas não são

Desde que comecei com a minha dieta natureba, eu tenho ficado de olho de alimentos que, apesar de se dizerem saudáveis, não são a melhor opção. Eu realmente acredito - ultimamente - que produtos caseiros (mesmo sendo um pouco mais calóricos) são melhores que muitos ditos diet e light. E não falo apenas a nível de saúde, falo também no processo de emagrecimento.

Então, vamos ver alguns exemplos de alimentos que parecem saudáveis para crianças e adultos, mas não são (algumas informações parecem repetidas, é que tirei de dois lugares diferentes e quis colocar tudo aqui):


Barrinha de cereais:  Elas prometem ser uma ótima opção para o lanche porque são práticas de armazenar e contêm fibras – nutrientes que aumentam a sensação de saciedade, dão energia e ajudam no funcionamento do intestino e na absorção de gorduras. Pelo menos na teoria. Especialistas alertam que muitas das barrinhas de cereais que existem no mercado são, na verdade, ricas em açúcar e sódio. Para saber se a que você compra é assim, compare os ingredientes que estão no rótulo. O que vem primeiro é o que está em maior quantidade, então procure marcas em que a fibra esteja no começo da lista. Prefira as de fruta, que são menos gordurosas, e as que contêm flocos de milho, mel, aveia e castanhas. “Também fique de olho porque a lecitina de soja, substância usada para dar liga no alimento, pode causar alergia nas crianças”, alerta a nutricionista Elaine Pádua. Você pode fazer uma barrinha mais natural em casa ou substituí-la pela bananada sem açúcar, que também tem fibra e mais vitaminas. Nesse caso, a banana não é desidratada, como na barrinha, mantendo seus nutrientes.

A quantidade de opções de barrinhas de cereal é muito ampla. Vai desde aquelas mais saudáveis, que possuem fibras, baixo teor de gordura e poucas calorias, até aquelas que parecem mais uma barra de chocolate. Se bem escolhidas, elas podem ser uma boa opção de lanche com baixas calorias entre as refeições, mas nem por isso podem ser consumidas muitas vezes ao dia. É preciso estar atento à quantidade de gordura saturada e sódio que algumas delas possuem. Como a maioria dos produtos industrializados, elas também possuem muitos conservantes. Além disso, algumas possuem grãos processados, como flocos de arroz ou aveia, em vez de grãos integrais.“O grande problema é o que junta as sementes que compõem a barrinha”, afirma a nutróloga Maysa Guimarães. “Para juntar os pedacinhos são utilizadas substâncias como o xarope de glicose”, explica. Maysa recomenda o consumo de um mix de oleaginosas, como castanhas, nozes, amêndoas e avelãs, em lugar das barrinhas.

Cereal matinal: Já reparou no que sobra no saquinho quando acaba o cereal? Açúcar puro. Pode ser uma boa fonte de energia, já que cada grão do cereal é um grão de milho, mas só. “É possível conseguir a mesma quantidade de carboidratos em outros alimentos, como pão integral e mingau”, explica a nutricionista Priscila Maximino. Há, no entanto, opções sem açúcar. Você pode adicionar uma fruta, como banana ou morango, para deixar a mistura mais docinha. Também dá para usar mel. Se quiser usar açúcar mesmo, prefira o cristal, que é menos processado do que o refinado.

Assim como as barrinhas de cereal, para os cereais de caixinha também existe uma variedade enorme. A má notícia é que aqueles que são mais saborosos geralmente são os menos saudáveis. “Os cereais são ótimos, mas não são muito gostosos. Então começaram a aparecer cereais flavorizados, como aveia sabor chocolate, ou com mel, e vários outros. Ele pode ficar mais gostoso dessa forma, mas tem concentração calórica muito maior”, explica o nutrólogo Celso Cukier. A dica é comprar cereal sem a flavorização e adicioná-lo em alimentos que já fazem parte da dieta, como iogurte, leite ou suco de frutas.

Suco de caixinha: Algumas dessas bebidas, também chamadas de néctar de fruta, têm tanto quanto ou até mais açúcar do que os refrigerantes. São até duas colheres de sopa a cada 200 ml, além de uma quantidade grande de sódio, substância que, em excesso, pode sobrecarregar os rins e aumentar as chances de ter pressão alta no futuro. Os corantes e aromas também aparecem no suco de caixinha (inclusive nos de soja), ou seja, mais química ainda. A saída é alterná-lo com o suco natural (ou água mesmo!). Você pode consumir o industrializado no lanche, por exemplo, e o caseiro, no jantar. Levando na bolsa, o suco natural dura até três horas sem estragar. Para aumentar a duração da bebida, misture-a com água de coco, que retarda o processo de oxidação, é um hidratante natural e não tem muito sódio nem na versão das prateleiras. Outra alternativa são os sucos prontos integrais, que não têm açúcar e só precisam ser dissolvidos em água. Mas não abuse. Qualquer tipo de suco deve ser consumido no máximo duas vezes ao dia, pois são calóricos – pense que, para fazer apenas um copo do de laranja, é preciso três frutas!

Trocar o refrigerante por suco é um hábito que muita gente busca seguir, mas nem todos os sucos são assim tão saudáveis. Os sucos de caixinha contêm uma quantidade grande de açúcar, e mesmo as versões light ainda apresenta muitos conservantes (que podem prejudicar o funcionamento do intestino) e, em alguns casos, grandes quantidades de sódio. Muitas vitaminas presentes nas frutas são perdidas durante o processo de industrialização. Alguns fabricantes fazem a adição de vitaminas depois, mas mesmo assim a proporção não é a mesma dos sucos naturais. Sucos de polpa são um pouco mais interessantes nesse sentido, porque o processo de congelamento da fruta gera uma perda menor de vitaminas.
 
Os sucos naturais são a melhor opção, mas também é preciso ter cuidado. A principal perda na hora de fazer o suco de fruta são as fibras, que são importantes para a função intestinal. “Se for tomado rapidamente, de 30 a 60 minutos depois de ser feito, o suco natural preserva grande parte das vitaminas”, explica Celso Cukier, nutrólogo. Fazer o suco de manhã para servir no almoço, portanto, não é o ideal. Apesar de ser natural, o suco de frutas ainda pode apresentar um alto índice glicêmico (capacidade do alimento de promover aumento da glicose sanguínea). “Diabéticos, principalmente, devem tomar cuidado com sucos, como de melancia e laranja, que elevam a glicemia”, afirma Cukier.
 
Além disso, para fazer um suco é comum utilizar uma grande quantidade de frutas, o que pode gerar um aporte calórico alto na dieta. “Se a pessoa não tiver a ingestão diária de frutas adequada (4 a 5 porções), o suco pode ser uma opção, mas não em excesso”, explica Maysa Guimarães, nutróloga.
 
Chás em lata: Os chás em lata possuem flavonoides, substâncias antioxidantes. Porém eles também apresentam grande quantidade de açúcar ou adoçante, semelhante à dos refrigerantes. “Eles podem ser consumidos de vez em quando, mas todos os dias não é recomendável”, afirma o nutrólogo Celso Cukier. Além disso, alguns tipos de chá são ricos em cafeína, que pode causar ansiedade, insônia e acelerar o coração.
 
Bebidas Esportivas: O problema com essas bebidas é uma questão de finalidade. Elas são indicadas para aquilo que o próprio nome diz: para consumo após a prática esportiva intensa. As bebidas esportivas têm em sua composição grandes quantidades de sódio e potássio, e por isso são indicadas para atletas que praticam mais de uma hora de atividade aeróbica intensa. “Salvo em situações clinicas muito especificas, as bebidas esportivas não devem ser utilizadas pelo esportista comum, para quem água e uma dieta diária equilibrada são suficientes para mantê-lo saudável”, afirma Luciano Giacaglia.
 
Leite de soja: A soja é classificada como um alimento saudável, mas nem sempre é uma boa ideia oferecê-la para as crianças. Isso porque pode ser tão alergênica quanto a lactose, presente no leite de vaca. “A soja é uma proteína de difícil digestão, por isso, pode causar alergias alimentares em crianças menores de dois anos, que têm um sistema digestivo imaturo”, afirma a nutricionista Santhi Karavias. Alguns especialistas até questionam o nome “leite”, já que ele não oferece os mesmos nutrientes, como os aminoácidos e o cálcio. Se o seu filho tem intolerância à lactose, você já encontra bebidas com adição de cálcio. Também vale substituir por leite de arroz, amêndoa e de cabra.

Sobremesa láctea: As sobremesas lácteas (como o queijo petit suisse - mais conhecido como Danoninho- ou aquelas sabor chocolate, baunilha...), fazem sucesso com as crianças porque são bem docinhas e saborosas. Mas não se engane pela aparência de iogurte, pois elas têm bem menos quantidade de cálcio – um mineral essencial para o crescimento e fortalecimento dos ossos, dentes e cabelos. Além disso, esses produtos são gordurosos e têm pouca proteína. “No lugar da fruta, mais nutritiva, muitos contêm aromas e corantes artificiais, que devem ser evitados nos primeiros anos de vida pois estão relacionados a uma série de problemas – de alergia à hiperatividade”, afirma Elaine Pádua. Ela explica que os corantes amarelos e vermelhos são os mais perigosos. É claro que seu filho vai querer comer essas guloseimas de vez em quando. Porém, sempre que possível, substitua por uma mistura de iogurte natural com a fruta que ele mais gosta. Basta bater essa combinação no liquidificador ou amassá-la com um garfo. Se o seu filho quiser algo mais doce, coloque açúcar mascavo. Essa preparação deve ser consumida entre 30 minutos e 1 hora.

Frozen yogurt: Eles parecem saudáveis por conta do iogurte, que tem pouca gordura e é fonte de cálcio. Realmente são uma boa opção, mas só se a marca de frozen usar iogurte de verdade em sua formulação. “Esse ingrediente é bom porque é natural e não tem aromatizante”, explica Santhi Karavias. Em 2011, o Proteste analisou oito lojas e constatou que apenas uma usava mesmo a bebida láctea, enquanto as outras misturavam sorvete comum ou à base de iogurte. “Esses últimos têm gordura saturada e trans, que aumentam o colesterol ruim e ainda diminuem o bom”, completa Santhi. Para se proteger dos “falsos”, analise o rótulo (quando tiver) e pergunte a porcentagem de gordura (quanto mais próxima de zero, melhor). Ah, e controle as coberturas escolhidas, que costumam ser uma bomba calórica.

Bisnaguinha: Ela é molinha e fofinha graças a muuuita gordura hidrogenada! Esse tipo de pão é feito de farinha branca e açúcar, ou seja, tem poucos nutrientes e nada de fibras. Não faz mal comê-lo uma vez por semana, mas, nos outros dias, opte pela versão integral ou de fôrma, recheando com requeijão light ou até geleia sem açúcar. Os pães de padaria ou feitos em casa, naquelas panificadoras portáteis, também são ótimos substitutos, pois têm menos conservantes. Outra opção rápida e saudável: minipizza de pão sírio! Você pode montar essa delícia com muçarela de búfala, queijo prato ou queijo branco, tomate – pode ser o cereja – e algumas folhinhas de manjericão fresco. Aí, é só colocar no forno em fogo baixo por 15 minutos e se deliciar.

Peito de peru: Apesar de ser visto como uma alternativa melhor do que o presunto, os dois têm a mesma quantidade de sódio e gordura porque são uma mistura de carne e pele (eca!) do animal. Para conservar o produto, as indústrias usam nitritos e nitratos, substâncias químicas que, segundo algumas pesquisas, podem causar câncer se consumidas por muito tempo. Por isso, libere esses alimentos embutidos ou processados (e, nessa categoria, entra também a salsicha e a mortadela) apenas uma vez por semana, de preferência a versão sem capa de gordura.
 
Empanados de frango: Parece carne de frango, mas o empanado é o que os nutricionistas chamam de compensado, uma mistura de ingredientes nada nutritivos, como partes de frango, pele, farinha e leite em pó. Então, mesmo que você faça assado em vez de frito, ele não é saudável. Para piorar, o que dá gosto à mistura é o glutamato monossódico. “A substância realça o sabor e interfere no paladar, deixando a papila gustativa acostumada a esse tipo de alimento”, conta a nutricionista funcional Gabriela Maia. Muitas vezes o empanado industrializado é usado como substituto da carne de boi ou de frango, que são proteínas completas. Só que eles não são equivalentes. Uma opção é fazê-lo em casa. Não tem tempo? Então, para suprir a quantidade de proteínas da carne, que tal cozinhar cerca de quatro ovos de codorna? O preparo vai levar os mesmos cinco a dez minutos.

Sopas em pó: Sopas costumam ser uma opção de refeição com menos calorias. Porém as versões industrializadas, que requerem apenas adição de água, não devem fazer parte da dieta. Elas contêm muitos conservantes, mas principalmente muito sódio: algumas chegam a ultrapassar o dobro da quantidade recomendada para um dia todo. “O problema é que é fácil tornar o consumo dessas sopas um hábito, e isso não é saudável. Elas não têm fibras, não têm nutrientes bons, além do excesso de sódio”, explica o nutrólogo Celso Cukier. A sugestão do médico é fazer sopa caseira uma vez por semana e congelar.

Adoçantes: Os adoçantes não são um problema por si só, mas o consumo excessivo deve ser evitado. De acordo com o nutrólogo Celso Cukier, os efeitos do uso excessivo e prolongado de adoçante ainda não são conhecidos. Por isso, a recomendação é tentar variar o tipo de adoçante utilizado ao longo do dia. Além disso, ao serem consumidos, os adoçantes emitem falsos sinais ao cérebro de que estamos ingerindo açúcar. Ao perceber o engano, o cérebro reage aumentando a vontade de comer doce. “Os adoçantes na verdade acabam lembrando ao cérebro o prazer dos doces e perpetuando este desejo”, afirma Luciano Giacaglia, endocrinologista.

Chocolate Diet: Assim como todos os produtos diet, ele é recomendado para pessoas que têm diabetes. Isso significa que ele tem menos açúcar, mas o problema é que o chocolate diet pode ser mais calórico do que o chocolate normal, porque para manter o sabor e a consistência, a falta de açúcar é compensada com adição de gordura. “Quem não é diabético não deve consumir chocolate diet, mas dar preferência ao chocolate meio amargo, ou com 70% de cacau. Quanto mais cacau melhor”, diz a nutróloga Maysa Guimarães.

Produtos light e diet: Se você tinha a impressão de que poderia consumi-los sem restrições, esqueça! Para crianças, os diet e os light são indicados apenas em casos de doenças como obesidade e diabetes. Achar que eles podem ser servidos à vontade, já que têm menos açúcar e gordura, é um erro. “Isso porque o fabricante adiciona sódio para manter o sabor. Então, melhor ingerir uma quantidade menor da versão tradicional do que o dobro da light”, orienta Virginia Weffort, nutróloga. E a criança precisa de energia para crescer, então não é indicado tirar totalmente o açúcar da dieta – lembrando que ele é encontrado em vários alimentos, como frutas e massas.

Então vocês podem dizer: mas se eu parar para pensar nessas coisas, eu não como mais nada industrializado......ahhhh essa é a intenção. 
 
E para não falar apenas de tragédias.....olha que legal, eles são saudáveis, quem diria:

Atum enlatado:
A versão conservada em água em vez de óleo é fonte de ômega 3 e tem gordura boa. Bom substituto para os embutidos.

Legumes congelados: São práticos e têm boa conservação de nutrientes e fibras. O congelamento faz com que percam apenas um pouco de vitamina C.

Pipoca: É rica em fibras e substâncias antioxidantes, que podem prevenir até câncer. Mas preste atenção no preparo: de micro-ondas não vale. Faça na panela com um fio de óleo vegetal. E não exagere no sal! 

Informações retiradas dos sites: Notícias Já e Revista Crescer

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Como fazer as mulheres praticarem atividade física....

Muito legal!!!!!!


Uma dica para quem faz musculação

Na verdade essa dica serve tanto para quem faz musculação quanto para quem faz ginástica localizada. 


É algo que os treinadores geralmente não contam, principalmente se você usa a academia em horários críticos, em que quase se briga para usar uma máquina....quem dirá duas. 

Mas assim, para quem tem pouco tempo para malhar (neste caso, dá pra fazer suas séries quase que na metade do tempo), ou para quem quer gastar mais energia na malhação (neste caso, pode-se fazer mais exercícios no mesmo tempo), uma ótima dica é fazer duas séries juntas. 

Eu explico. A cada série é preciso fazer um intervalo para o músculo descansar e responder melhor aos exercícios. Geralmente se realiza 3 séries de 20 ou 15 repetições com 30 segundos de intervalo entre eles. Isso não se pode mudar. É assim mesmo. O que pode ser feito é usar o tempo do intervalo para trabalhar outro músculo. Por exemplo, você faz uma série de 20 pra perna, e enquanto descansa o músculo da perna faz uma série de 20 para o braço. Depois enquanto descansa o músculo do braço, faz novamente a séria da perna. 

Acho isso genial. Você gasta mais energia usando o mesmo tempo, ou consegue fazer toda sua série em menos tempo. 

Eu conto essa dica porque meus instrutores nunca que me indicaram, mesmo vendo que eu quase não tinha tempo. Eu meio que descobrir ao acaso. É que para a academia é complicado disponibilizar 2 máquinas por aluno. Mas não só é possível, como os resultados são potencializados. 

Mas não vai pra academia e fazer por sua conta em risco. Converse com seu instrutor. Sempre. Eu conto esta dica para justamente você ir e conversar com o instrutor sobre as possibilidades. 

É sempre bom potencializar os exercícios.....então fica a dica!!!

A Teia de Aranha Alimentar - Segunda Parte: Uma pesquisa interessante

Para quem está chegando agora, as outras partes do livro: 

Primeira Parte: Dependência Física 

Este post será bem pequeno. É só para comentar uma pesquisa super interessante que o livro cita. É uma diferença ente as classe sociais e sobre como as diferentes classe veem a comida e o corpo ideal. Sim, a quantidade de dinheiro que temos na conta bancária influencia o nosso gosto culinário e o que achamos bonito num corpo: 

"Numa pesquisa realizada pela antropóloga Patrícia Aguirre aponta que ‘para os pobres, os alimentos devem ser substanciosos, para os setores médios devem ser atraentes e para os de alta renda, essencialmente light’. Em outras palavras, cada setor social come em razão de sua concepção prévia acerca de corpo ideal. Assim, para os pobres, o ideal é o corpo forte (não precisamente magro) e o do alimento é substancioso; para as classe médias, o ideal do corpo é bonito (e magro) e o da comida é atraente. Dessa forma, elas embarcam em uma missão impossível, pois seu alimento “atraente” é rico em gordura e açúcares e, portanto, não vai produzir um corpo sedutor"

Parece lógico se pensamos que o pobre gosta da feijoada e o rico do salmão. Não estou aqui sendo preconceituosa. Não se trata do salmão ser caro, é algo mais complexo, ligada a imagem do corpo perfeito. “É surpreendente como a classe social condiciona o olhar”.

Isso faz todo sentido, e podemos assim dizer que a classe baixa gosta de mulheres com mais curvas. A classe média já é mesmo um meio termo. Ela gosta das curvas, mas em um corpo mais magro. E a classe alta já prefere as magrelas. 


Depois de dito isso faz muito sentido. Mas eu nunca tinha pensado em ligar o gosto estético com a classe econômica. 

E olha que legal a pesquisa:

Pedimos a pessoas pertencentes a diversas classes sociais que ordenassem por categoria (gordo, muito gordo, muito magro, normal) uma série de fotos de figuras conhecidas, desde Susana Jiménez até Araceli Gonzalez, passando por Gladys, ‘a bomba de Tucumán’, e os resultados foram muito interessantes."

Para quem não conhece - eu não conhecia- eis as pessoas usadas na pesquisa:


"Para as pessoas das classes baixas, Susana e Gladys entraram na categoria ‘normal’, mas para as pessoas das classes altas, elas eram ‘gordas’. Os setores mais ricos e médios veem Araceli Gonzalez ou Valeria Mazza como ‘normais’; mas os de renda baixa, por sua vez, colocaram as duas na categoria ‘muito magras’ e um entrevistado chegou a dizer: ‘não são mulheres!’.

Achei essa pesquisa super interessante. Partindo do princípio que eu acho mais bonito as mulheres mais magras, acabo de descobri que sou da classe alta. E a pergunta que não quer calar é: se sou da classe alta, onde é que está a minha montanha de dinheiro?

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Não me entrego sem lutar!!!


Looks de fim de ano

Bom, como eu disse, as 3 últimas semanas não foram nada produtivas, e agora eu tenho que correr contra o tempo.

Aí, vocês podem pensar: por que correr?

Quero dizer, tenho a vida toda pela frente, e essa batalha vai durar a vida toda mesmo. Quando chegar na minha meta tenho que continuar com a dieta, continuar com os exercício. Nada vai mudar. Então, por que correr?

Agora eu explico:

No ano passado eu comprei dois looks para as festa de fim de ano. Na verdade, dois corseletes. Um para o natal e outro para o ano novo


Mas, nos últimos dois meses do ano passado, além de eu não emagrecer, eu engordei. Resultado: não quis usar os corseletes. Eles davam em mim, eu poderia usar. Mas não se senti a vontade, estando com alguns quilinhos a mais. Resultados, não os usei. Para usar e estando a vontade com eles, eu teria que estar com pelo menos 78. E no final do ano passado eu estava com 82.

E meus corseletse estão lá, guardados no fundo do armário. Eu não só não os usei nas festa de fim de ano do ano passado. Eu nunca os usei. Eu queria eles para o natal e o ano novo. Não teria graça usar para outro evento antes de usar nas festas para os quais eles foram comprados. 

Estão lá, coitados, há mais de um ano guardados. Esperando que os usem. Não posso deixa-los guardados por mais um ano. Além do mais, talvez, TALVEZ, ano que vem tenha que começar a pensar nos herdeiros. Então, se eu estiver grávida no final do ano que vem - e é uma possibilidade - eu teria que mantê-los guardados sem uso por mais tempo ainda. E é por isso que eu quero correr. Quero usar meus corseletes. Quero muito usá-los. 

A minha pretensão é estar com pelo menos 78 no natal (nem vou fazer as contas de quantos quilos por semana eu teria que eliminar para eu não ficar deprimida) para eu poder desfilar com meus looks sexy de fim de ano. 

Para o natal:


Para o ano novo:

Estou louca para usá-los. Quero usá-los. Este ano. 

Por isso quero correr. Por isso vou fazer o que eu puder para estar perto dos 78 no natal. Por isso vou tirar algumas pequenas loucuras que tenho guardada na cartola e colocá-las em prática. 

Pode ser que não dê certo. Pode ser que o tiro saia pela culatra. Mas eu só sei que vou tentar. Tenho que tentar. Não vou desistir dos meus sonhos tão facilmente. Não vou desistir sem lutar. E eu estou preparada para batalha!

Arco-íris desfeito

Eu tenho tanta coisa para comentar e contar, e ando tão sem tempo de escrever. Não tá fácil. Mas, aos poucos, vou contando tudo. 

Bem, ante de contar - em outro post- a minha nova tática, eu preciso - infelizmente- falar da tragédia que foi nas últimas 3 semanas. Eu não sei se eu que sufoquei o arco-íris ou se foi ele que me sufocou. Mas travamos uma luta nas últimas semanas. Principalmente na última.


Infelizmente as notícias não são boas. A verdade é que no processo de emagrecimento o seu corpo joga contra você. Ele não quer perder o seu precioso estoque de gordura. Então quando você está de dieta e quanto mais próximo estiver da sua meta, mais cuidado tem que ter. Porque qualquer pequeno deslize, qualquer caloria a mais, o corpo aproveita e investe no culote. Qualquer fatia de pão a mais, suco a mais, qualquer coisa, o resultado no final da semana já é diferente. E vendo isso acontecer 2 semanas seguidas, eu me revoltei e na ultima semana chutei o pau da barraca. Não comi que nem louca, nem isso cheguei a fazer, mas fim de ano tem muitas festinhas. Então, digamos que aproveitei ao máximo cada festinha que fui. E o pior: nas próximas semana tem mais. Mas enfim, antes de me preocupar com o futuro, deixa eu contar o passado.

A média de emagrecimento fazendo tudo certo na minha dieta é 1 quilos por semana. E nas últimas 3 semanas foi assim:


Bom, na semana 16 engordei 200 gramas. Eu poderia pensar: acidentes acontecem. Mas não foi o que pensei. Eu pensei: era para eu estar pelo menos 1,2 quilos mais magra. Então veio a semana 17 e eu tentei fazer tudo certo e não aproveitar quase nada dos eventos de fim de ano, e mesmo assim, não consegui o meu quilo que é a média. E eu pensei: era para eu estar 1,5 quilos mais magra. Infeliz, com isso eu resolvi aproveitar todos o eventos que tive na semana passada. E o resultado disso foram 1,5 quilos (toneladas) a mais. E eu não pude deixar de pensar que eu deveria estar com 4 quilos a menos, se eu tivesse conseguidos nessas 3 últimas semanas o meu 1 quilo a menos de média, em vez de acontecer o que aconteceu. 

Com isso os meu planos foram por água abaixo. Porque eu tava bem apertada no tempo para o Natal. Eu conseguiria chegar bem perto da minha meta se tivesse feito tudo certo. E agora que fiz tudo errado eu estaria muito muito muito longe da minha meta. Eu levaria quase que o resto todo do desafio apenas para me recuperar deste estrago. E isso não vai dar certo. 

Por isso eu resolvi apelar, e fazer o que eu sei de fazer melhor: emagrecer fazendo pequenas loucuras. Mas isso será assunto de outro post. Se não vou falar de muita coisa diferente num post só e ele ficará enorme. 

O que tenho a dizer é que as 3 últimas semanas foram trágicas. Eu não queria que fosse assim. Não mesmo. Mas agora não adianta chorar pelo leite derramado. E dizer "bola pra frente" também não vai me ajudar muito. É correr atrás do prejuízo mesmo. 

Perdeu tempo....então agora é recuperar o tempo perdido. Tomara que eu consiga!

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Minha meta

Uma coisa angustiante - pelo menos para mim - neste processo de emagrecimento é não saber qual meu peso ideal. Na adolescência eu sonhava com 68 quilos para os meus 1,78m. Eu nunca cheguei a isso. O máximo que consegui chegar perto disso foram 72. E eu estava bem magra nesta época. Então 72 virou a minha meta. Mas sendo um pouco realista, talvez eu estivesse magra de mais naquela época com 72. Então por fim minha meta virou 74. 

E eu persegui tanto esses 74 que eu não percebi que quando eu estava com 76, eu já estava muito bem. Eu já disse isso antes, eu sei, em um post que fiz para responder um comentário da minha amiga Mi.

E agora eu percebo que talvez a minha meta seja 78....mas espera. São 10 quilos a mais da minha primeira meta lá na juventude. E isso me deixa um tanto atônita. Quase que sem chão....mas deixa eu explicar. 

Primeira coisa: por que é tão importante traçar uma meta? não pode simplesmente ir até onde você se sentir bem?

Apesar de tentar me livrar da balança, e saber que não sou um número, foram anos e anos perseguindo um número. E estou pra dizer que não é fácil se livrar dessa mania. Estou tentando, é verdade, mas ainda não consegui. Então, se eu deixar por minha conta no sentido de "vai até quando você se sentir bem" eu vou parar nos 70. Sério mesmo. Eu vou querer sempre mais, querer estar sempre melhor - melhor na minha ideia distorcida - e isso não vai dar certo. Porque quando eu estiver com 76 vou achar um monte de defeito e vou tentar lidar com os defeitos da única maneira que sei: tentando emagrecer. 


Por isso sempre tento ter um plano, e seguir ele. Agora eu consigo ver de longe o que eu não consigo ver quando estou na situação. Mas este processo de: qual é meu peso ideal? É muito desgastante. 

Então vamos às fotos. De novo.

Eu com 76 quilos:


Não acho que já estou bem assim. Ainda estou barriguda. Mas é o que eu digo, neste momento eu não precisava emagrecer mais. Precisava ir para musculação para modelar.

Só que eu vasculhando as minhas fotos, achei umas outras fotos, eu também com 76 quilos. E olha a diferença de uma pra outra. 


Não sei se você conseguem ver a diferença que parece ser sutil. Mas apesar de eu estar com o mesmo peso nas duas fotos, na segunda eu estou mais magra que na primeira. E estou quase que magra de mais. Passado a linha. Eu sou alta, tenho ombros largos, que a realidade é: eu fico ossuda com facilidade. Fica com uma barriga enorme, coxas grossas de mais, mas o peito e os braços ficam estranhamente ossudos. 

E eu tenho que ter esse cuidado, porque é uma coisa que, quando eu estou ossuda, eu não consigo reparar isso. Eu só olho a barriga protuberante e as coxas grossas. Mas todo o resto repara. Alias todo o resto até tenta me avisar, mas eu finjo que nem estou ouvindo. Aí vocês podem me dizer: impressão sua. Se nas duas fotos você está com 76, como é que você pode estar mais magra?

Eu explico:

Olha esta tabela. Fui procurar nos meus registros. E achei isso. 

Na primeira foto eu estava com 76 quilos, e o meu percentual de gordura estava em 26,20%. E na segunda foto eu estava com 76, mas meu percentual estava mais baixo. Não sei com quanto eu estava, porque não tenho registrado. Dias antes, com 78 eu já estava com o mesmo percentual de gordura que eu estava com 76. Ou seja, eu devia estar com uns 25% pelo menos. Apesar de eu estar numericamente com o mesmo peso, eu estava mais magra na segunda foto.

Eu não quero estar mais magra que nesta segunda foto. Não mesmo. Então a minha meta será mais ou  menos assim: 76 quilos ou 25%. O que chegar antes. E essa porcentagem é da minha médica, a Dra. Débora. Porque a % calculada pela nutri é diferente e então não a poderei usar como base.

Só que eu tenho uma outra meta ainda: entrar no vestido preto ali de cima, da festa. O modelo é mais ou menos esse:


Eu quero entrar nele, mas sem ele estar esturricado na barriga. Quero que ele caia perfeitamente. E então, com o vestido entrando em mim eu vou para com a neura quanto a emagrecer, e vou para musculação. E então vou focar na minha meta numérica de 76 quilos ou 25% de gordura. O que vier antes. 

Essas coisas - são muitas informações - eu ainda estou trabalhando na mente. Mas eu preciso. Preciso ter um foco. Que me mantenha na realidade e não me faça passar do ponto. Vai levar um tempo para eu assimilar tudo isso, mas eu já descobri até onde eu quero ir, e isso já é alguma coisa. Agora é focar no que eu quero e batalhar por resultados. Vamos nessa!!!!

Eu acredito!!!


Semana 18

A última semana foi péssima para mim. Aliás, as 3 últimas semana não foram nada produtivas. Mas enfim, eu falo disso depois, em outro post. Não tô muito a fim, neste momento, de ficar pensando e estudando o que deu errado. O mais importante é que com isso, e estando à 5 semanas do natal, eu resolvi apelar. Sim, sei o desgaste e o conflito que isso causa. E eu sei que tem 80% de chance de dar errado, mas eu vou tentar. Resolvi acreditar nos 20% de chance.

Terei que estar mais alerta do que nunca, ter mais cuidado e fazer absolutamente tudo como o planejado para dar certo. Uma vírgula fora do lugar, coloco tudo a perder. Enfim, mas vou tentar. E qual é o meu plano? Eu também conto depois....hehehehehe. É que eu ainda não o tenho 100% traçado. Mas até quinta eu poderei contá-lo corretamente como será. 

Enquanto as outras postagens não veem, é isso aí: Estou na semana 18!


Agora é fazer tudo certo!!!!!

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Armadilhas do Supermercado

Dicas de Nutricionista sobre produtos industrializados. Muito interessante o vídeo. Vale muito a pena ver:


Looks de Verão

O verão tá aí. A estação mais quente do ano. O corpo fica mais a mostra, e nada melhor do que batalhar por um corpo mais lindo para mostrar. E é tudo o que desejo para este verão: um corpo mais lindo e roupas maravilhosas. Acho que é o que toda mulher quer. Então, vamos lá, um pouco de moda para inspirar:
 
Look 1
 
Look 2
 
Look 3
 
Look 4
 
Look 5
 
Look 6
 
Adoro adereços......eu sempre tento, através dos penduricalhos, transmitir no corpo a felicidade da alma. Eu sei que exagero. Quero tanta coisa, desejo tanta coisa, finjo precisar de tanta coisa.....mas estou me policiando, estou melhorando. Mas olhar ainda não tira pedaço. Então eu me permito olhar e sonhar. Sonhar com roupas lindas, sim. Mas, mais do que isso, me faz sonhar com o meu corpo lindo!
 
É isso que eu realmente quero: um corpo lindo para poder enfeitar!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Benefícios da água logo pela manhã


Água: para você que ainda não se convenceu dos benefícios da água

Que a água faz bem, todo mundo sabe. 


Mas algumas pessoas se esquecem de ingerir a quantidade adequada no seu dia-a-dia. Mas depois desta reportagem, divido que você vai esquecer te ter a sua garrafinha de água sempre por perto.

Sarah Smith, de 42 anos, passa a beber 3 litros de água por dia e mostra mudanças após um mês. Marido e amigos dizem que ela parece 10 anos mais jovem após quatro semanas.

Olha o antes e o depois dela:


Impressionante, não?

Sarah Smith, de 42 anos, sofria com dores de cabeça e má digestão. Tanto o médico quanto o nutricionista indicaram consumir três litros de água por dia para que o corpo funcionasse melhor. Decidiu apostar na ideia e registrou as mudanças. Quatro semanas depois, estava se sentindo melhor e o marido e amigos disseram que ela parece 10 anos mais jovem, com menos manchas e marcas de expressão no rosto. Confira detalhes de cada semana.

1ª semana
 Peso: 53,4 kg
 Cintura: 71 cm

Sarah procurou o médico para ter certeza de que não havia problemas em aumentar a ingestão de água drasticamente. E ele foi encorajador: “Sugiro que você ingira um grande jarro de água na parte da manhã, outro à tarde e outro à noite.

Seus rins, que filtram resíduos do sangue, vão sentir rapidamente o benefício.” Em poucos dias de experimento, ainda urinava cinco ou seis vezes por dia, mas o líquido estava mais claro. Há anos, pratica 10 minutos de ioga ao se levantar, mas se sentia mais rígida nos últimos seis meses e notou que a flexibilidade melhorou depois de beber mais água.

2ª semana
 Peso: 53 kg
 Cintura: 71 cm

A pele está melhor e seu tom é mais uniforme. Ainda tem rugas ao redor dos olhos, mas parecem menos pesadas, e as manchas do rosto estão diminuindo. Ingeriu meio litro quando acorda, no café-da-manhã, no almoço, à tarde, no jantar e antes de dormir. Parece muito, mas achou administrável.

Não teve dor de cabeça por mais de uma semana, o que era incomum. Foi fazer compras e, nesse período, teve de ir ao banheiro três vezes em cinco horas. Achou que o estômago ficaria inchado com tanta água, mas está mais plano que o habitual. O seu marido disse que suas celulites das coxas e bumbum sumiram.

3ª semana
 Peso: 53 kg
 Cintura: 69,8 cm

As olheiras e rugas na região dos olhos diminuíram muito e a pele parece mais nutrida. O fato de beber mais água a faz se sentir satisfeita mais rapidamente nas refeições. “Estudos mostram que 37% das pessoas confundem sede com fome”, disse Sarah.

4ª semana
 Peso: 52,6 kg
 Cintura: 68,5 cm

Sarah ficou impressionada com a mudança, sendo que as manchas do rosto sumiram. Passou a se sentir mais magra (perdeu quase 1 kg), apta e saudável. Seu marido e amigo disseram que ela parece 10 anos mais jovem. “Aconteça o que acontecer, vou continuar a beber três litros de água por dia. E aconselho todas as mulheres a fazer o mesmo (depois de verificar com seu médico, é claro)”, disse.
Informações retiradas do site: Pragmatismo Político

E você? Já bebeu água hoje?

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Beautiful

A música de hoje vai para todas as mulheres que não se setem lindas por estar fora dos padrões:

VOCÊ É LINDA!

"Beautiful", com  Christina Aguilera.



Um pouco fora dos padrões

Hoje vou falar de uma coisa que ainda não está bem definida na minha cabeça, não cheguei a conclusões permanentes, mas tenho pensado muito nisso.

Não sei se esses meus pensamentos vieram da maturidade, dos acontecimentos da vida, dos programas sobre o assunto que eu assinto, ou de tudo isso junto. Acho que de tudo junto. Mas eu começo a achar que a gente passa tanto tempo buscando a perfeição e não se dá conta que são os nossos defeitos que nos fazem ser o que somos.

Tá, vou falar por mim, apesar de ter certeza que todas as mulheres do mundo fazem isso: eu busco tanto a perfeição que me esqueço que são meus defeitos que fazem eu ser EU. 

Mas a culpa não é nossa. Não é que a gente acorda um dia e decide ser perfeita. A gente acorda todos os dias e a nossa única pretensão é ser feliz. Mas aí a gente vê TV ou vai ler uma revista e só tem mulheres super magras com roupas incríveis sendo feliz. 


Atualmente, olhando esse monte de revista, percebo que essas mulheres são praticamente todas iguais.  Altas, magras, lindas, cabelos lisos levemente ondulados......é o tal do padrão de beleza. Mas agora tenho uma teoria. Não é que a mídia nos convenceu a querer ser magras. Nós continuamos querendo a felicidade. O que a mídia nos convenceu é que para ser feliz temos que ser magra. E não tô falando de magra. Tô falando em ser magricela. 

Aquelas mulheres em propagandas com vestidos maravilhosos em Paris, elas estão tão felizes. Queremos aquela felicidade. E de tanto ver essas imagens o nosso subconsciente chega a conclusão de que para termos essa felicidade precisamos pesar 50 quilos. Sim, porque você já viu a foto de uma mulher gordinha sendo feliz em Paris. Nunca. Nunca. 

Eu ando percebendo isso. Que é assim que a mídia nos convence a querer ser magra. Não pela magreza em si. E sim pela felicidade. A nossa busca, mesmo inconsciente, ainda é a felicidade.

E não é só isso que eu percebi. Percebi que todas as mulheres são iguais. Como se fosse feitas num processo de produção em massa. Que nem bolsa ou sapato. 


E nós mortais, do lado de cá, passamos a vida tentado ser igual a elas.

Pensa na Barbie.....claro tem a Barbie loira, morena, até ruiva, tem com estilo clássico e com estilo roqueira. Mas o corpo de boneca vem sempre da mesma fôrma. Eles usam a mesma fôrma para fazer todas as bonecas. 


E nós estamos tentando fazer o mesmo com os nossos corpos. Igualar todos eles, igual a modelo da revista, para no final das contas parecer que viemos todas da mesma fôrma.

Mas no meio desse processo, nos perdemos. Porque são os meu "defeitos" (que na verdade nem defeitos são, apenas estão fora dos padrões citados ali em cima) que me faz ser eu. Se eu fosse magra, alta, loira eu não seria eu. Seria a Gisele.

As mulheres são diferentes. Umas são altas, outras baixas, umas magras, outras gordas.....e essa é a graça da vida. Ser diferente. 


Mas a gente não quer essa diferença. A gente coloca lente de contato, aplique no cabelo, silicone no peito, tiramos uma costela, fazemos lipo na barriga. Só pra ser igual. Igual. Isso faz algum sentido? Para mim, começa a não fazer.

Eu sempre quis colocar silicone. Sempre. Meus seios são pequenos, minhas costas muito largas, eu muito alta. Silicone era meu sonho dourado. 


Só que num mundo de siliconadas, que tem peito pequeno talvez seja rainha. Talvez o peito pequeno seja o meu diferencial. Talvez eu mude de ideia e queira o silicone futuramente. Mas hoje em dia tem tanta gente colocando silicone que eu me dei conta que não quero me parecer com elas. Talvez eu queira me deliciar com as diferenças em vez de passar a vida toda tentando ser igual.

A gente passa a vida buscando um copo perfeito e passamos a vida frustrada por não conseguir. Por mais que a gente tente, existe biotipos diferentes. Não nascemos para ser iguais. Nem irmãs conseguem ser iguais. Talvez eu nunca me pareça com a Britney Spears, mas talvez isso seja bom. 


Tô pra dizer que tô mais para P!nk.


Apesar de ser alta, eu tenho peito pequeno, eu sou um tanto quadrada, mas ela não deixa de ser linda e sexy por conta disso. A P!nk hoje pra mim representa um pouco a contra-mão dos padrões. Ela não tem centura fina e cabelão na cintura, não tem aquele ar de modelo feliz em Paris. Mas talvez isso que seja felicidade.

Eu não tô me conformando em ser gorda, acho que não vou me conformar nunca com isso. Mas eu to me conformando em ser eu. Mas que isso, estou adorando ser eu. Estou adorando ter peito pequeno, cabelo curto, ombro largo....era tudo coisas que eu queria mudar em mim. Mas hoje, em busca da minha personalidade, do meu diferencial, percebi que são meus defeitos que são na verdade a minha beleza. 

Eu quero ser magra, quero ser linda, quero ser feliz em Paris, quero roupas lindas. Ainda quero. Quero muito. Mas quero os meus "defeitos" apimentando isso tudo. Não quero ser uma boneca de plástico. Quero ser uma mulher de carne e osso. 

Ser vesga, ter nariz grande, uma mancha, uma cicatriz, um cabelo rebelde....isso é o que dá personalidade ao seu corpo. É claro que vamos continuar indo pra academia, correndo, fazendo dieta, buscando um corpo sem gordura localizada e uma mente mais saudável. Mas é o que não pode ser mudado por dieta e academia que te faz mais bonita que as outras mulheres. E fazer uma plástica ou qualquer outra coisa para mudar isso é abrir mão de uma beleza só sua por um padrão normal. E quem quer ser normal podendo ser maravilhosa?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...