quarta-feira, 21 de maio de 2014

Pagando por escolhas mal feitas

Eu estou odiando a nova temporada de The Biggest Loser. Aliás está ficando cada vez pior. As pessoas se desesperam para ir pro programa, ficam com o discurso de quero mudar a minha vida, quero ficar saudável. Mas quando chega lá, viram um bando de manipuladores atrás do prêmio de $ 250.000,00. 


E eu fico furiosa. Fico mesmo.

No programa (e na vida) as pessoas deveriam ser justas. E não ir eliminado os mais fortes (mesmo que essas pessoas precisem ficar) só para ter uma chance. Elas deveria ter sua chance por mérito próprio, por ter batalhado por isso. E não porque pisou em algumas pessoas no meio do caminho. Eu fico furiosa. O mundo está tão cheio desse tipo de gente. De gente que reclama da corrupção do governo, mas que são corruptas iguais. É claro que devemos focar na gente, mas se você precisa passar por cima de alguém para chegar em algum lugar, você não é muito diferente dos políticos do mensalão. 

Tem uns participantes (os do time preto, o gurizão do time verde, e a guria do time azul) que nem consigo olhar para eles. E juro...sinto tanta raiva deles que quando os vejo na TV digo "se mate" (fazendo uma citação de South Park - só que assiste vai entender).

Depois de deixar claro a raiva que sinto...vamos aos últimos acontecimentos. 


Adam - o cara da equipe azul - ganhou uma vantagem faz umas semana. A vantagem era de 1 quilo na pesagem (se não me engano). Que ele poderia usar, ou guardar. E cada vez que ele não usava, essa vantagem aumentava. E na ultima semana, a vantagem dele era de 2 quilos. 

E nesta semana, foi diferente. Apenas o peso de 1 único participante valia para a equipe toda. Mas o time azul poderia vetar a primeira escolha de representante deles escolhido pela outra equipe (porque tinham ganhado o desafio da semana). 

Resumindo...chegou a hora da pesagem. Adam escolheu não usar sua vantagem e guardar. E equipe preta escolheu a Jessica para representar a equipe azul na balança. E a equipe azul, que poderia vetar esta escolha, resolveu não vetar. 

Resultado: a Jessica perdeu na pesagem (se tivessem vetado a escolha, o time azul teria ganho), e como o Adam não usou a sua vantagem ele poderia e foi votado. E no final, ele foi eliminado por ser forte, dedicado e sempre ter - por mérito próprio - ótimos resultados. 

Foi uma sucessão de escolhas mal feitas....e ele foi eliminado.

Hoje ao acordar, eu liguei a TV para despertar, e acabei vendo um trecho de um filme chamado "A bola da vez". Resumindo, conta a história de um garoto que iria comemorar o seu bar mitzvah no mesmo dia da final da copa do mundo (isso na Inglaterra) e que por isso torcia para que o time da Inglaterra perdesse, ou no dia de seu bar mitzvah ninguém iria querer ir. 


E o trecho que eu peguei, ocorreu o seguinte: o pai desse guri tinha uma peixaria com o irmão (herança do pai) que eles resolveram vender. Mas o pai o guri não pode receber sua parte, porque durante muito tempo escolheu não pagar os impostos e guardar o dinheiro no sótão da casa. E dias depois que a peixaria foi vendida e que ele teve que ir trabalhar no novo negócio do irmão, alguém, comemorando a partida da copa, solta um rojão e o sótão da casa pega fogo e destrói as economias da família.....sucessão de escolhas mal feitas. 

Bom, o que quero dizer é: a vida é mesmo feitas de escolhas. E cada escolha que fazemos reflete muito em nossa vida. E pode até mudá-la completamente. Algumas vezes (ou muitas vezes) fazemos escolhas ruins sem querer. Não temos como avaliar toda a situação, fazemos as escolhas baseado no que conseguimos perceber. E no final constatamos que a escolha foi mesmo ruim. Acontece.

Mas, algumas vezes (ou várias vezes) fazemos escolhas ruins, sabendo que são escolhas ruins. E mesmo assim fazemos, e ficamos zangadas quando tudo dá errado. Um exemplo? Escolhemos não ir malhar, escolhemos comer uma barra de chocolate inteira, mesmo sabendo que isso é uma escolha ruim, mesmo sabendo que isso atrasará nossos planos por dias, meses ou até mesmo anos....e quando o número da balança aumenta ou a calça fica apertada, ficamos brabas.

Algumas vezes....é inevitável. Temos consequências que não esperamos. Mas muitas vezes as consequências são previsíveis. E mesmo assim, tomamos o caminho errado. Só que tantas coisas já saem erradas mesmo sem a gente querer, que devemos pelo menos tentar acertar. Mirar no lugar certo. Ou, quando percebermos, a nossa vida não vai ter passado de uma sucessão de escolhas mal feitas. Mesmo porque, a escolha é nossa. Somos livres para escolher, mas somos escravos das consequências de nossas escolhas....pensem nisso.

4 comentários:

  1. Oie! Gostei dessa sequencia de pensamento!
    Não podemos ficar bravas com as consequências das nossas escolhas! Você está certa!

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Aline, tudo o que podemos fazer é fazer escolhas melhores.....

      bjsbjs

      Excluir
  2. O que pode acontecer é que durante esse processo de escolhas, percebermos que algumas prioridades do início já não são as mesmas do meio do caminho e não assumirmos isso; fica então a frustração de termos feito escolhas supostamente certas, mas que agora, mesmo tendo chegado a reta final, tornaram-se irrelevantes....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade. As prioridades mudam, e percebemos o quanto damos importância a coisas irrelevantes......isso também é verdade.

      bjsjbs

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...