terça-feira, 30 de setembro de 2014

Projeto Festa de Confraternização da Empresa do Marido

Bom.....estávamos sentados conversando. Eu, a Nana e o marido.

Quando a Nana de repente, sem nem mesmo me avisar que soltaria uma bomba, disse: "quando chegar em casa é focar para a confraternização de fim de ano da empresa do marido....". Eu literalmente pulei da cadeira: "ohhhhh meu Deus!!! A confraternização de fim de ano da empresa do marido".

Devo confessar que não sei bem ao certo se foi isso exatamente que ela disse. Mas tenho certeza que foi isso que ela quis dizer. Eu só consegui ouvir "confraternização da empresa do marido". O nome é grande mesmo. Mas não tem como resumir. É isso o que ele é. 

Então na sala fez-se um silêncio. O marido com aquela cara de "ai.....F#@%&" e a Nana riu e disse: "Tu tinha esquecido da confraternização de fim de ano da empresa do marido?"

SIM....eu tinha esquecido.

Gente, se eu tivesse lembrado, não tinha chegado aos 96. Gente, se eu tivesse lembrado, não estaria ainda com 91. É claro que eu tinha esquecido. Mas a Nana me lembrou. E bem a tempo. 

Quem conhece o meu histórico sabe que adoro usar festinha como foco para emagrecer. Comigo realmente funciona. 

E quem conhece o meu histórico vai dizer: "ainda nisso...supera, esquece....."

Bom, vou dizer que já superei. Já esqueci. Não me importo mais. Mas......to tri a fim de usar a festa com desculpa para emagrecer. E por alguns meses fingir que sou neurótica com isso como eu era antes. Periga eu acreditar. Sou uma ótima atriz......kkkkkkkk

A questão é que, independente do que aconteceu ou não.....ahhhhh, isso nem vem mais ao caso. Mas, são pessoas que convivem diariamente com o meu/seu/nosso marido, e que você só as vê lá de vez em quando, e algumas só 1 vez por ano. É muito diferente das pessoas que você convive diariamente. É ótimo receber elogios dessas pessoa, ou melhor ainda, se seu marido receber elogios em seu nome. É o máximo. E este será meu foco. Este será meu novo projeto de vida pelos próximos 3 meses (sim, pretendo aproveitar a pilha disso e ir até o ano novo) 


Então tá, eu e a Nana nesse projeto (que a Nana mesmo escolheu o nome). Mas tenho certeza que muitas de você vivem a mesma história. Por mais que vocês tenham a empresa de vocês, a confraternização da empresa do marido é completamente diferente. E todas nós queremos estar lindas no dia. Todas nós podemos usar isso de motivação. Então vamos nessa. Caminhe com a gente nesta jornada. É possível. E mesmo que em 3 meses você não chegue na sua meta oficial, dá tempo de melhorar muito comparando com o dia de hoje. Vamos nessa. Sem desculpas. Sem jacadas. Sem reclamar da salada. Sem preguiça.......vamos juntas.

Não pelos maridos, nem pelas piriguetes que trabalham com ele....mas pela gente. Pela nossa auto estima, pelo nosso amor próprio. A confraternização é só uma desculpa. Um foco a mais. E vamos levar isso mesmo a sério. Mas o motivo maior, somos nós mesmas. Tentando nos transformar no melhor que podemos ser.

Acordei mesmo.....


segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Motivo do sumiço 4

Como eu disse, tive 4 motivos para andar sumida no último mês. E nos post anteriores, eu contei os motivos 1 e 2. E depois o motivo 3.

A história do motivo 4 é um pouco longa e eu nem sei por onde começar. Mas só para ficar os posts dos motivos todos juntos......vou logo contar o que houve. 

Vou tentar resumir. Mas não sei se a minha mania de contar tudo nos mínimos detalhes vai deixar......

Era uma vez uma capixaba que namorava um gaúcho. Eles se casaram no ES e vieram morar no RS. A escolha da casa foi algo que ficou por conta do gaúcho, porque a capixaba não poderia ficar vindo resolver isso tendo os preparativos do casamento para resolver. Então o gaúcho tirava fotos das casas em potencial e eles tentavam escolher juntos. 

Uma casa por fim foi escolhida. A capixaba amou a casa. Porque ela era pequena e aconchegante. Parecia uma casinha de boneca. 


E perto dessa casa existia 2 lotes que não tinha nada construido. Todos dois perpendiculares. 


Um no inicio da casa. e outro no final. O lote no inicio da casa era o sonho da capixaba. Mas este foi logo vendido. E logo construíram uma casa. Só sobrou para ser sonhado o lote perpendicular no final do terreno, que sempre foi o preferido do gaúcho. E a vida continuou.

Mas a casa do gaúcho e da capixaba foi feita por construtores, com a única finalidade de ganhar dinheiro. Então, com o passar do tempo, alguns defeitos da casa ficaram muito aparente. E o gaúcho começou a pensar em se mudar. E a capixaba amava a casa e só pensava em ficar. Ela sabia que a casa tinha muitos problemas, e que o processo de reforma deixava a casa ainda mais desprazerosa. Mas ela a amava não por que a casa era, mas pelo que a casa poderia vir a ser.

Quando eles compraram a casa a financiaram. Levaria 15 anos para pagar. Mas ao completar 7 anos o gaúcho resolveu usar seu FGTS e quitar a casa. Eu disse que a história era longa. Na verdade até agora foi só uma introdução. Nossa história começa agora. 

O gaúcho numa determinada semana entrou com o pedido de quitação da casa, e na semana seguinte, na volta da corrida com as amigas a capixaba passou em frente ao terreno dos fundos e viu uma placa de vende-se. Naquele momento eu - a capixaba- entendi que era uma providência divina. Se este terreno fosse colocado a venda uma semana antes....não daria pra comprar. Aliás, ainda na semana em que tudo aconteceu, não daria pra comprar. Foi a esperança de que quitaríamos a casa em muito em breve que nos deu força para ir buscar este sonho. 

Sonho muito mais do marido que meu. Eu queria mesmo era permanecer na minha casa. Mas eu vi no terreno que era o sonho dele a possibilidade de convencê-lo a ficar. 

Eu vi a placa na segunda. Na terça mesmo eu liguei pra imobiliária. Disse que estava querendo comprar e que iria analisar o orçamento para colocar o terreno que custava R$ 135.000,00. E disse pra corretora: "qualquer movimentação, me avisa".

Na sexta estávamos completamente decidido. Liguei pra corretora e disse: "vamos ficar com ele". E ela me disse que ele já tinha sido vendido. Como assim? vendido? "Eu disse que qualquer movimentação me avisasse". "Mas não posso, foi uma corretora amiga minha que vendeu" - disse ela. 

Mas, na minha cabeça, Deus não me daria todas as possibilidades para me tirar depois. Aquele terreno era para ser meu. E iria ser. 

Liguei para outra imobiliária: "já foi vendido".

Liguei para terceira e última imobiliária: "Tá, deixa eu ver...."

Esse corretor da última imobiliária entrou em contato com os donos e viu que realmente já estavam fechando negócio. Mas então o corretor me disse (porque eu já tinha contanto toda a história e meus desejos): "se a Senhora realmente quer....ofereça mais".

Na hora que ele me disse eu respirei fundo. Achei meio errado. Mas daí pensei, e falei pra ele: "o Sr. vai entrar em contato com os vendedores e perguntar se os compradores são vizinhos do terreno. Porque se forem, não posso fazer isso com eles. O sonhos meu é o mesmo que o dele. Mas se for outra pessoa, bom, se for outra pessoa, para essa pessoa, qualquer outro terreno, em qualquer outro lugar serve. Mas pra mim. Só este serve. Neste caso, ofereça R$ 10.000,00 a mais"

Os outros compradores não eram vizinhos. E a vendedora pediu R$ 13.000,00 a mais. E eu aceitei. 

Mas aqui preciso dizer algo: eu não tinha dinheiro algum. Não sabia como iria pagar. E isso foi tudo na sexta. No sábado nos encontramos e assinamos o contrato, e já demos um cheque no sinal de R$ 14.300,00. Dinheiro esse que não tínhamos na conta. E eu não fazia ideia de como iria arrumar. Mas dei na fé. Sabia que Deus tinha providenciado até ali e continuaria providenciando.

Um primo meu ficou sabendo da história e me ofereceu o dinheiro do sinal emprestado. Tiramos um outro empréstimo para cobrir das despesas de cartório e a diferença que a caixa não cobriu. 

E agora eu faço parte da estatística super pobre do país. Quitamos um financiamento de R$ 844,00, assumimos outro de R$ 1.200,00 (por longos e longos anos). Um outro de R$ 1.000,00 (por 3 anos). E ainda devo boa parte do sinal ao meu primo. Fora os outros que temos, do carro, consignado e tudo mais. Por um bom tempo não teremos dinheiro para comprar uma alface. Mas fizemos um investimento. Investimos no nosso futuro, na nossa felicidade. 

E essa história toda aconteceu em 1 mês e meio. E neste tempo eu não tinha cabeça pra nada. Só pensava em como iríamos pagar o que nos comprometemos a pagar. Demos cheques sem saber como iríamos fazê-lo ter fundo. E nesses dias então, eu mal conseguia respirar. Esperando que Deus operasse seu milagre. 

A partir daqui será mesmo bem difícil. Mas ainda acho que o pior já passou. Agora é readequar o orçamento, e juntar grana pra fazer tudo o que queremos no nosso terreno novo. 


Um terreno que foi abençoado por Deus...olha, o vejo muito assim. E que só trará felicidade. Tenho certeza.

Motivo do sumiço 3

Como eu já disse, tenho 4 motivos para o sumiço do último mês. E 2 deles eu já contei. Vamos ao terceiro.

E como eu disse no post sobre os motivos 1 e 2, eu comecei o She RA no orkut. Depois fui pro face, e só depois pro blog. 

E no mês passado recebi um comunicado do orkut, dizendo que ele seria excluído. Aliás, ele será excluído hoje.

Só que eu tenho muito amor pelo que eu escrevo. Quero dizer, coloco tanto de mim, e isso demanda tanto tempo, que sou meio que apegada aos meus textos antigos. E desde que eu fiz este meu blog eu também criei outro. Para passar os textos do orkut a limpo. 

Para conhecê-lo, clique aqui.

Mas eu meio que só fazia isso quando tinha tempo. E quando recebi o comunicado de que o orkut seria excluído eu meio que tive um prazo para terminar de passar os meus textos do orkut para o blog. Depois disso eu não teria mais acesso a eles. 

O orkut deixará muita saudade. Foi como tudo começou. A She RA começou. Aliás, eu nem comecei como She RA. No início mesmo eu era a "Fe fofa", depois que virei a She RA. Deixará saudade. 


Mas os textos antigos, antes deste blog oficial aqui, estão arquivados no meu outro blog. 


Vou ser bem sincera: ele não ficou muito bom pra achar textos específicos. Para simplesmente ler e conhecer posts antigos, ele até que ficou bom, mas para usar o instrumento de busca....enfim, um dia eu mudo ele, incorporo os textos antigos aqui, para ficar com um blog só....apesar de não ter ideia de como eu faria isso....mas o importante é que meus textos estão salvos, e em um lugar seguro. 

Enfim, este é o outro motivo de eu ter sumido daqui. Eu já não tinha tempo nenhum de escrever. E o tempo que eu tinha, precisava dedicar a passar a limpo os textos do orkut. 

Mas enfim, consegui.....e eu volto pro meu blog oficial com tudo!!!!

Motivo do sumiço 1 e 2

Bom, vamos já justificar o meu sumiço

Enfim, tenho 4 motivos que tomaram conta dos meus dias, e me fizeram não ter tempo de aparecer por aqui. Todos ele motivos maravilhosos, devo confessar. O motivo 1 e 2 são correlatos. Então vou contar os dois em um único post. E estes foram motivos que me deixaram sem tempo. O terceiro eu conto daqui a pouco. E o quarto motivo vou deixar pra depois....muito grande a história, e eu nem sei por onde começar....outro dia eu conto. E foi um motivo que me deixou mais....sem cabeça pra sentar e escrever. 

Tá, chega....vamos lá contar o motivo 1 e 2. 

O motivo 1 é o seguinte: aqui no She RA (começou pelo orkut, depois foi para o face, e depois veio para o Blog), enfim.....eu conheço MUITA gente legal através da She RA. E algumas viram irmãs. E uma delas, uma criatura linda que conheço desde 2011 - segundo ela - mas acho que conheço desde que eu nasci.....se chama Eliana. Eu chamo ela mesmo de Nana. Que é o nome que tinha o primeiro perfil dela (lá do orkut), e eu não consigo desvincular. 


Pois bem, a Nana e eu temos muitoooo em comum, e com o passar dos anos nos tornamos grades amigas, não só no quesito dieta. Mas pra tudo na vida. 

E já faz um tempo que estamos programando pra nos conhecer. Eu dizia que ia pra Goiânia, e ela dizia que vinha pra Porto Alegre. Papo vai, papo vem, ela tomou a iniciativa: "quer saber....vou a Porto Alegre".

Fiquei mega, hiper, ultra feliz. 


E este é o motivo pelo qual não dei as caras aqui na semana passada. Eu estava com uma visita maravilhosa em casa, e não tive tempo pra nada, só pra fofocar, me divertir, e coisas do tipo. Veio ela e a filha dela. A Gabi, uma menina incrivelmente fofa. 

Gente, impossível descrever a minha felicidade de ter elas aqui.

E ela também foi o motivo pelo qual não tive tempo de aparecer nas semanas anteriores. 

O motivo 2:

Eu tinha acabado de terminar a reforma do meu quarto. E quero a casa pronta pro Natal. Então, ou eu corria com a reforma da sala de TV e terminava antes de elas chegarem (afinal, era ali que iriam dormir), ou nem começo e corria o risco de não conseguir terminar tudo até o natal. 

O que resolvi: correr para termina a sala de TV. Nem preciso dizer que não deu tempo. A decoração não chegou, e algumas coisas ficaram por fazer. Mas o básico consegui terminar (lembrando que eu fazia tudo, e quando falo "tudo" é trabalho de pedreiro mesmo). Paredes emassadas, pintadas, rodapé instalado.....o básico consegui terminar. 

Mas depois que eu terminar mesmo, com a decoração e tudo mais, eu venho contar como ficou. 


Mas este foi um dos motivos pelos quais não tive tempo de vir escrever. Passava meus dias emassando, lixando e pintando parede. Instalando rodapés e preparando tudo para chegada da Nana e da Gabi.

Mas valeu a pena. Ter a Nana aqui, bem acomodada e se divertindo foi o máximo do máximo. Agora estou tentando convencer ela de se mudar pra cá. Quem sabe......

Olha aí a fotinho do encontro:



Foi o máximo. Seja sempre sempre sempre bem vinda Nana. E volte sempre! Sempre e sempre!!!!

Pra frente....sempre


I'm so sorry

Quase 1 mês sumida....eu sei que é muito tempo.....desculpe. 


Muitas coisas aconteceram ao mesmo tempo (daqui a pouco já conto tudo), e eu não tive tempo nem cabeça de escrever. 

Desde lá eu permaneci da dieta, tentai fazer alguns exercícios, e tentei conviver com tantos acontecimento. Ainda vai levar um tempo para eu voltar à minha rotina....mas não posso me dar ao luxo de esperar tudo voltar ao normal para eu voltar a me dedicar 100% à minha dieta. Mesmo porque poe ser que nunca mais volte ao normal. Quero dizer, sempre tem alguma coisa rolando, sempre tem um acontecimento inesperado.....é hora de colocar a cabeça no lugar e voltar pra She RA. E aproveitar os últimos 3 meses do ano. 

Vamos lá que 2014 tá acabando!!!!

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Guerra contra balança

Sabe que a gente, que vive de dieta, entramos numa neura sem fim. Declaramos guerra contra a balança de um tal modo que simplesmente nos esquecemos que a balança não tem culpa. Mas não queremos nem saber. E não é metáfora. Brigamos com a balança, gritamos com ela, algumas até a quebram. A guardam....como se ela fosse a fonte de todo o mal. 


Mas cá entre nós....não é a balança que nos deixa gorda. É a comida. Ou os padrões demasiadamente pequenos. Ou a falta de uma vida mais ativa...sei lá. Olha, se começarmos a listar, acharemos muitos culpados. Mas a verdade verdadeira mesmo é que só existe um culpado: nós mesmas.

E nesta guerra, tudo é um tormento. Claro. Já viu guerra feliz? Talvez apenas a de travesseiro. E neste contexto, fazer uma dieta é super difícil. O que fizemos para merecer isso? Comemos demais, oras...

Mas o que quero dizer é: levamos isso excessivamente para o lado pessoal. Brigamos com a salada. Porque só posso comer salada? Brigamos com nós mesmas para ir pra academia. Brigamos com o marido que não nos entende. Nos sentimos a pior das pessoas por estar naquela situação. 

Quando a verdade é uma só: você tem muito estoque de gordura. 

Sim....é simples assim. Não importa se você quer eliminar 2 ou 20 quilos. A questão é que você tem estoque de gordura em excesso. O mundo não está contra você. As pessoas não te odeiam. A salada não tem um gosto pior pra você do que tem para o resto do mundo. Sua via não é mais difícil que para grande parte da população. Não. NÃO! Não há um complô mundial comtra você e o destino não está te sacaneando. Nada disso. Absolutamente nada disso. 

Você simplesmente tem um estoque extra de gordura. E se você quer diminuir ele, terá que comer menos. Você come menos do que precisa (e eu não to falando de passar fome. Estou falando em comer bem, mas comer calorias a menos) para que o corpo use um pouco da gordura que está em seu estoque e assim ela pare de te atrapalhar. Só isso. Simples assim. 

Mas se você fizer disso uma odisseia....assim será. Se você fizer disso um pesadelo.....assim será. Se você fizer disso uma guerra.....assim será. Mas se você fizer isso de uma maneira simples.....assim será. 

Entenda isso. O mundo não te odeia. Você só precisa comer menos para reduzir a quantidade de gordura no corpo. 


Ahhhhhh, falar é fácil. Eu quero ver fazer.....

Não, não. Simplesmente é fácil. É simples. A gente é que complica.

Acho que você não está fazendo isso direito......


terça-feira, 2 de setembro de 2014

Silenciando o mundo

No meu último post eu falei sobre comentários alheios. E depois que eu escrevi, eu fiquei pensando naquilo. E me lembrei de vários episódios parecidos, com pessoas diferente. Parecidos não no tipo de comentário. Parecido no sentido de eu dar valor demais ao que os outros me falam.

Pai, mãe, amigos, parentes, marido......o que eles me dizem me afeta por demais. E eu fiquei pensando nisso.

Afinal, por que será que dou tanto ouvido à opinião alheia?

Por que sou canceriana?

Talvez. Aliás acho mesmo que isso explica muita coisa. Mas se algumas opiniões me fazem tão mal, porque as escuto?

E eu cheguei à algumas conclusões. 

Primeiro: seria mal educado não escutar. Quero dizer, ignorar o que algumas pessoas dizem, simplesmente ligar no automático e simplesmente concordar sem de fato ouvir......isso me parece tão mal educado. Até a pessoa te fazer uma pergunta no meio das asneiras ditas e perceber que você não processou nada.  


Mesmo porque eu só me dou conta de que algo está me fazendo mal depois de processar a mensagem. E então, o que fazer? simplesmente não processar nenhum tipo de mensagem de algumas pessoas? Olha, isso já passa o mal educado e beira a loucura. 

Aliás, esta é a minha segunda conclusão:  Loucura. Eu sou meio sistemática, meio maluca, meio cheia de manias. E como vou saber que as pessoa não tem de fato razão? E se eu estou enlouquecida dentro de mim mesma e as outras pessoas estão, na verdade, dizendo coisas que deveriam ajudar?

De novo....só sei disso depois de muito pensar. E aí, o estrago já está feito.

Pode ser que para algumas pessoa eu esteja dizendo uma tremenda bobagem. Mas pra mim é um problema real. Eu realmente me afeto com a opinião das pessoas sobre mim. Me afeto até demais. Eu sei. Eu tenho que aprender a lidar com isso, eu sei. Mas não sei como se faz. 

Ouvir o que as pessoas tem a dizer é inevitável e até mesmo essencial. Pena que o mundo não sabe a hora de se calar. Talvez seja o caso de eu aprender a silenciá-lo. Não pelo lado de fora. Mas pelo lado de dentro. Quero dizer, não vou conseguir fazer o mundo se calar. 


Não tem jeito. Apesar de você tentar sempre demonstrar uma boa educação, as pessoas não fazem essa mesma questão. Então só me resta fazer silêncio dentro de mim. Para eu poder ouvir a minha própria voz. E ter a consciência de que esta é a voz mais importante. O que realmente impostar é o que você acha. Como você se vê. E para perceber esse tipo de coisa, você tem que se escutar. Tem que fazer silêncio na alma.


Eu sei....se você considerar a sua própria voz como a mais importante, pode ser que você erre. Pode ser que você esteja mesmo louca, ou fazendo a coisa errada e nem perceba. Pode ser que os outros esteja certos, e não você. Mas quer saber? É um risco que eu quero correr. 

Loucuras todo mundo tem. Erros todos comentem. E se for para cometer erros, que pelos menos seja os meus. Se for pra enlouquecer, que pelo menos as loucuras sejam minhas. E eu começo a pensar que essa valorização de si, não é nada mais e nada menos que amor próprio. E por mais louco que isso possa parecer, se amar nunca é errado.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...