segunda-feira, 20 de abril de 2015

Aquela vontade de morrer

Resumo do fim de semana....que começou na sexta: comilança.

Mas isso nem foi a pior parte. Sexta teve aniversário de 3 anos da minha sobrinha (por parte do marido).

E a festinha foi bem legal. Fui com a mesma roupa que visitei o marido no serviço dele (que contei no face e no instagran). Por quê? Porque estou naquele momento da vida em que poucas são as roupas do meu guarda-roupa que realmente faz eu me sentir bem. Na verdade que faz eu me sentir bem a lista é um pouquinho maior. Mas as que fazem eu me sentir glamorosa (e toda mulher deveria se sentir glamorosa TODOS OS DIAS) realmente a lista é bem pequena na vastidão no meu guarda-roupa. Fazer o quê...

O vestido é mais soltinho , o que explica a minha vontade de morrer, mas vamos aos fatos. Estava eu na festa com o meu look. Este look:


Um vestido longo de oncinha, com detalhe no busto da Shoulder, um bolerinho jeans da TOK e vários acessórios.

E quando a vó do meu marido me viu ela abriu um sorriso do tamanho do mundo e disse: “ai meu Deus, ela já tá de barriguinha”. Não espera um pouco, não foi bem assim. A vó do meu marido (ela não fez com maldade, ela achou mesmo que eu taba grávida e ficou feliz com a suposta constatação) entrou na festa e olhou pra mim (eu lá no fundo) e disse (e todo mundo ouviu): “ai meu Deus, ela já tá de barriguinha”.

Eu não sabia onde enfiar a minha cara. Disse  que não, e enfim, eu fui o comentário da festa, com todos querendo saber se eu estava ou não grávida e eu com aquela cara de paisagem, querendo dizer: “não, é gordura mesmo”. Mas eu não disse.

Eu nem tenho dedos pra contar quantas vezes isso aconteceu comigo. E ainda assim......não aprendi a lição. Não estou falando de não usar vestido larguinho. Estou falando de EMAGRECER.

E eu morri mais ainda imaginando se na empresa do meu marido alguém teve esse mesmo pensamento. Morri.

No sábado fomos jantar na casa de um amigo dele (da empresa). 


Caraca....eu não fazia ideia de com que roupa iria. Estava me sentindo linda na sexta e levei uma rasteira. Fiquei muito insegura. Muito. Então preferi ir mais clean. Fazendo a onda de simples e elegante.


Fui eu com um longo azul marinho da Hering, um cardigan branco e uma echarpe navy da Luigi Bertolli pra combinar. Fiz um coque no cabelo, e coloquei brincos de pérolas. Eu sei que com a minha montagem não deu pra ter uma ideia, mas o estilo foi esse aqui:


Só que o meu vestido era azul marinho e eu coloquei uma echarpe navy, primeiro porque estamos no outono aqui no sul, e segundo porque não tenho esse corpão todo pra sair mostrando por aí.

Não vou dizer que não gostei do look. Claro que gostei. Se não gostasse não teria nem saído de casa. É lindo, elegante, mas não é glamuroso.

Pra terem uma ideia, da ultima vez que fui na casa desses amigos para jantar, fui assim:



Macacão animal pint da Shoulder.

Simples, lindo, elegante e glamuroso....só quero dizer uma coisa: espero que eu supere isso e volte a achar o meu glamour perdido.

Bem, e não parou por aí o meu find. No Domingo uma amiga veio almoçar comigo. Bem, a minha vizinha, amiga, parceira de todas as horas, não é mais minha vizinha (mas continua sendo amiga e parceira de todas as horas). Ela se mudou na quinta. E no domingo já estava com saudade. Me ligou e disse que viria almoçar. Então fiz o prato preferido dela: feijoada. Bem light (só que não).


Mas é amiga amiga mesmo, super chegada, e o meu look do domingo (já que postei de todos os eventos), foi o vestidinho de fazer faxina, que tava todo sujinho de eu cozinhar  e limpar desde cedo. Mas amigos mesmo é bom por isso....nem se importa com o que você está usando, só quer mesmo sua companhia. O vestido era mais ou menos assim e com outra estampa:


E com isso encerrei meu gordo find, que péssimas lembranças de todos olhando para minha barriga na festa e se perguntando se ali tinha mesmo um Bebê ou se era só bacon. Acho que a feijoada do domingo respondeu a questão: era bacon mesmo!

4 comentários:

  1. Nossa!! Que situação constrangedora, se fosse comigo não saberia o que fazer, mas com certeza iria fazer "graça" da situação para tentar amenizar o meu constrangimento. Sou um pouco assim. Mas enfim, o negócio é não deixar isso virar rotina, parte para a AF e vamos que vamos. Não desanima não. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, disse tudo: "o negócio é não deixar isso virar rotina". Já parti pra AF e estou mudando essa história. Obrigada pelo apoio!

      bjsjbsjbs

      Excluir
  2. Já passei por isso duas vezes... Ela pode ter dito isso também porque você estava usando uma roupa mais larga e achou que fosse por esse motivo; com outro estilo de roupa talvez ninguém pensasse isso... Mas não ligue, pois fator glamour é pessoal e intransferível: você tem ou não tem !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, mas é o tipo de coisa que por mais que você pense "não vai me atingir", te atinge, em cheio. Mas isso tem me motivado. Estou suspensa ainda com o fator glamour, mas daqui a pouco ele volta de novo........preciso deixar o mar que existe em mim se acalmar.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...