quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Resuminho básico

Vamos lá fazer um resuminho básico de 2015 e de 2016 até agora. 

Em 2015 eu tentei me libertar. Me libertar de mim mesma. 


Eu tinha (tenho) uma mente muito conturbada e focada só nessa coisa de dieta e coisa e tal. E ao mesmo tempo andava tão deprimida com algumas coisas. Enfim, decidi me libertar, parar de me pesar, tentar fazer o que é correto e esperar o melhor do processo. 

Eu senti (sinto) as roupas ficando folgadas, roupas antigas dando em mim.....e a verdade é que apesar de eu ter me proposto a me pesar no fim do ano....eu ainda não o fiz. E vou ser bem sincera: tenho medo. Medo de não gostar do número. Dele não ser suficiente para mim. 





E para não avacalhar o que (aparentemente) está dando certo. Eu quero me pesar num momento em que eu esteja tão feliz comigo mesma, com meus resultados, que o número da balança não faça diferença. Que eu consiga aceitar e ficar feliz com o meu resultado. E este momento ainda não aconteceu. 

Então resolvi continuar tentando me libertar (da balança).


Porque isso não acontece de um dia pro outro. É um processo....é uma batalha diária. Eu to aprendendo e cada dia é uma luta.

E eu comecei 2016 é assim. Dentro de todo esse processo. 

Voltei das férias  cuidando da alimentação (como tenho feito nos últimos meses), mas ainda sem poder malhar por conta do tornozelo ainda machucado. Sim, ele ainda está doendo. 

Na segunda eu fui fazer um exame (que ficará pronto na outra semana), e segundo a médica que fez o exame ela não achou nada. Ela passou o aparelhinho bem no lugar que doía, e ainda assim disse que não achou nada. Só faltou me dizer que era psicológico. 

Bom, agora é esperar o exame ficar pronto e levar pro médico. Se ela não achou nada....que seja nada mesmo, assim posso voltar a malhar. 

Mas devo confessar que o anti-inflamatório que ele me passou eu não tomei. O marido tinha médica dias depois e levei a receita pra ela ver, ela me disse que o tal remédio incha muito. Que eu ficaria inchada por uns 20 dias.....ohhhhhhhh, não. Ela me perguntou se tava doendo e eu disse que tinha melhorado bastante e por fim ela disse: "então, não precisa tomar". E eu não tomei. Vamos ver o que acontece.

O que eu sei, é que espero muito de 2016. O ano tá aí pra ser aproveitado. E eu espero usar ele todinho.....

6 comentários:

  1. O importante é estar se sentindo bem, eu me propus me pesar 1 vez no mês para avaliação, preparando o meu psicológico para aceitar e agradecer qualquer eliminação, minha meta é ficar com o peso menor que o anterior, mas confesso que não é fácil, mas vamos indo vivendo um dia de cada vez, força pra nós, bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Aceitar e agradecer qualquer eliminação" é a parte mais difícil.......é isso que estou tentando evitar, enquanto eu não me senti preparada.

      Excluir
  2. Vc só tem que trabalhar na sua cabeça, que mesmo que o nº não seja o que vc deseje, uma hora terá que confrontá-lo e sabendo que deve continuar no caminho certo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Verdade. Eu terei que trabalhar bem isso. Já to trabalhando a cabeça pra me libertar disso, para que eu suba na balança e que o número não me afete.

      Excluir
  3. Olá She Ra, tudo bem? Caí no seu blog devido ao post sobre o uso de canela como termogênico. Quando li a sua "doideira" eu tive que rir, pois por falta de conhecimento/informação, acabamos fazendo besteira com algo que deveria estar trazendo benefício, também já fiz besteira. Então fui até os posts mais atuais e li este, sobre o medo da balança e também sobre a questão da dor no tornozelo devido à uma provável inflamação. Vou tentar ser breve com relação à experiência que eu tive.
    Eu lesionei meus joelhos na academia, fazendo leg press. Nada de excesso de peso, mas postura dos pés errada. Resultado dos exames: meniscos danificados, bem zebrados, ao ponto do ortopedista tirar os óculos e me perguntar como eu havia conseguido fazer aquilo. Fisioterapia e anti-inflamatórios na receita e depois a artroscopia, já que não houve resultado com a fisioterapia. Só que na época houve o problema da Unimed Paulistana somado à uma mudança de endereço. Acabei ficando sem plano de saúde por um bom tempo. Enquanto isso fui vivendo tomando anti-inflamatórios para atenuar o desconforto nos joelhos, parecia um idoso andando na rua, para subir e descer escadas... Deprimente. Mas o estômago reclamou e tive que pensar em alguma coisa para mudar este quadro. Lá vou eu para o google... Lê daqui, assiste um video dali e acabei encontrando um video de um médico americano falando sobre hormônios, especificamente sobre o hormônio do crescimento (GH) e seu aspecto anti-inflamatório. Este hormônio é o que podemos chamá-lo de "manutenção corretiva e preventiva". Lendo mais um pouco sobre as interações entre os hormônios, aprendi o "pulo do gato" para otimizar sua produção: a insulina é antagonista ao GH, traduzindo, quando dispara a insulina, o GH deixa de ser secretado, acarretando em menor tempo de GH no sangue para a "manutenção" dos tecidos. O GH é secretado quando fazemos esforço físico (exercícios) e quando estamos em sono profundo, daí a sensação de descanso após o sono. Então eu precisaria continuar a fazer exercícios, obviamente, evitando os que forçam os joelhos e "otimizar" a produção do GH após o sono. Solução: cortar o café da manhã. Somente água, café (com uma pitada de canela) ou chá, sem açúcar. Desta forma a insulina não é disparada e o GH continua o seu processo. Em 15 dias, meus joelhos melhoraram muito, o desconforto era bem menor, em um mês, já não sentia dor alguma. Continuei com este jejum que por sinal é chamado de Jejum Intermitente (Intermittent Fasting). Após seis meses, os joelhos melhoraram muito, já faço exercícios para as pernas e corridas curtas de até 5km. Mas, a grande surpresa deste processo: Sequei quase 20kg de gordura!!!!!! Sem fazer restrição calórica, é claro que mantendo uma alimentação mais saudável. Sem leite, menos, bem menos carne e derivados de leite. Só é preciso se atentar na dieta, quanto às calorias, enquanto se faz este jejum. Se consumir muito pouco, corre-se o risco de além de não perder o peso, passar mal. Não precisa se preocupar quanto à questão de ficar fraco por não tomar o café da manhã. O corpo se adapta em poucas semanas (cetose), daí a perda de gordura. Não precisa fazer o jejum todos os dias, principalmente no começo, mas depois que o corpo se adapta, eu, por exemplo faço todos os dias e inclusive faço exercícios de alta intensidade (HIIT) em casa de manhã, ainda em jejum. O tempo de jejum é ótimo entre 16 e 24 horas, acima de 30 horas é que começa a haver a perda de massa muscular, então pode ficar tranquila quanto à isso. É comum eu fazer apenas uma grande refeição no almoço e fazer a próxima somente no outro dia. E não fico sentindo aquela fome desesperada, devido à esta adaptação.
    Bem, acho deu para escrever um pouco e transmitir a ideia. Só tomei a iniciativa de escrever aqui, pois percebi que você tem a mentalidade de alguém que quer emagrecer de fato e se esforça para isso. Muito legal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Genteeeeeeeeee adoreiiiiiii
      Adorei a história toda. Primeiro porque se parece tantooooo com a minha. Adorei a pesquisa no google, adorei ter colocado a mente para trabalhar e achar uma solução, adorei sua solução, adorei ter compartilhado sua solução. Adorei tudooooo. hahahahahha

      Bom, estou oficialmente voltando pro blog, e com o tempo vou explicando minha ausência. Eu estou numa vibe completamente diferente da que eu estava...nossaaaaa, mudei tantooooo. Mas depois eu conto huahuahauhaa mas adorei seu comentário e obrigada por compartilhar isso aqui. Com toda certeza vou procurar saber mais sobre o assunto.

      Muito obrigada mesmo!!!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...