sábado, 24 de junho de 2017

Fênix

Com todo esse processo que vivi no último ano, crio aqui um novo marcador: Fênix. 


Sempre que eu for falar do meu processo de mudança (que durará por toda eternidade), coloco o marcador da Fênix, e sempre que quiserem acompanhar exatamente esta parte da minha vida, basta ir no marcador Fênix. 


Mas já fiquem sabendo que quando falo em mudanças, em Fênix, estou falando em mudança de vida no seu grau máximo. Não do corpo especificamente. 

E para quem não conhece a história da Fênix:


A fênix é um pássaro da mitologia grega que, quando morria, entrava em auto-combustão (pegava fogo e virava cinzas) e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas. Outra característica da fênix é sua força que a faz transportar em voo cargas muito pesadas.

Teria penas brilhantes, douradas e vermelho-arroxeadas, e seria do mesmo tamanho ou maior do que uma águia. Segundo alguns escritores gregos, a fênix vivia exatamente quinhentos anos. Outros acreditavam que seu ciclo de vida era de 97 200 anos. No final de cada ciclo de vida, a fênix queimava-se numa pira funerária. A vida longa da fênix e o seu dramático renascimento das próprias cinzas transformaram-na em símbolo da imortalidade e do renascimento espiritual.

A crença na ave lendária que renasce das próprias cinzas existiu em vários povos da antiguidade como gregos, egípcios e chineses. Em todas as mitologias o significado é preservado: a perpetuação, a ressurreição, a esperança que nunca têm fim.

Esse mito da Fênix é, na verdade, um retrato do que pode acontecer com a sua vida. Não importa onde está, em que parte do caminho, com quantos anos, o que já conquistou e o que ainda está planejando conquistar: é sempre tempo de se renovar, de renascer e se tornar algo diferente, algo melhor mas que, ao mesmo tempo, continua sendo você mesma. 


Tente você também!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...